FAA acusa Lufthansa de operar 900 voos para os EUA em desacordo com regulamentação, e propõe multa milionária

A FAA anunciou ontem, 27 de novembro, que está propondo uma multa milionária contra a Lufthansa como consequência de quase 900 voos operados em desacordo com a regulamentação pela companhia aérea alemã para os Estados Unidos.

Avião Airbus A340-600 Lufthansa
Airbus A340-600 da Lufthansa

O comunicado da FAA – Federal Aviation Administration, a agência que regulamenta a aviação norte-americana – informa que a Lufthansa tem 30 dias para recorrer da multa proposta no valor de $6,4 milhões de dólares (R$27 milhões), decorrente de voos realizados da Frankfurt para dois aeroportos dos EUA em períodos em que a companhia aérea não possuía os dois destinos em suas Especificações Operativas aprovadas.

Confira a seguir a nota emitida pela FAA:

A Federal Aviation Administration (FAA) do Departamento de Transportes dos EUA propõe uma multa civil de US$ 6.428.000 contra a Deutsche Lufthansa AG de Frankfurt, Alemanha, por supostamente realizar quase 900 voos que não estavam em conformidade com os Regulamentos Federais da Aviação.

A FAA alega que a Lufthansa operou os voos chegando e partindo dos aeroportos internacionais de San Diego e Filadélfia quando sabia que não tinha autorização da FAA para fazê-lo. As companhias aéreas estrangeiras só podem realizar voos programados chegando e partindo dos aeroportos listados nas Especificações de Operações emitidas pela FAA, e a FAA alega que nenhum aeroporto estava nas Especificações de Operações da Lufthansa.

Entre 22 de março de 2018 e 27 de maio de 2019, a Lufthansa operou aproximadamente 600 voos com aeronaves Airbus 340 do Aeroporto Internacional de Frankfurt para San Diego e de San Diego para Frankfurt.

Entre 28 de outubro de 2018 e 10 de abril de 2019, a Lufthansa operou aproximadamente 292 voos com aeronaves Airbus 330-300 e Boeing 747-400 de Frankfurt para Filadélfia e de Filadélfia para Frankfurt.

A Lufthansa tem 30 dias após receber a carta de penalidade civil da FAA para responder à agência.

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.