Força Aérea envia dois Hércules com ajuda para Moçambique

A Força Aérea Aérea Brasileira (FAB) prepara, a partir desta sexta-feira (29), aeronaves C-130 Hércules para decolar com destino a Moçambique transportando mais de 20 toneladas de materiais para assistência às vítimas do Ciclone Idai, em Moçambique.

Os aviões também vão levar 40 militares da Força Nacional e do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais que ajudarão nos resgates dos atingidos.

A FAB foi acionada na quinta-feira (28) para a missão de assistência humanitária por meio do Ministério da Defesa e por determinação do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República. “Isso demonstra nossa capacidade de pronta-resposta, mesmo se tratando de uma missão extremamente complexa, que envolve longas distâncias, exige autorizações de sobrevoos em diferentes países, além de outras coordenações”, explica o Chefe do Estado-Maior Conjunto do Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), Major-Brigadeiro Ricardo Cesar Mangrich.

A complexidade ressaltada pelo oficial-general também está na necessidade de realizar diversos pousos e decolagens até a parada final, na cidade de Beira, já em Moçambique. (Veja o trajeto completo no infográfico abaixo)

Vinte militares da FAB integram as tripulações das duas aeronaves de carga. “Esperamos poder levar alento em nossa aeronave para a população de Moçambique. Nos mantemos sempre prontos e em condições de sermos acionados para as mais diversas missões. Dentre elas, as que proporcionam salvar vidas, como esta, são as mais gratificantes”, ressalta o Capitão Aviador Nelson Dias da Silveira Costa, integrante da tripulação do C-130.

Entre os materiais transportados estão água potável, veículos de transporte como camionetes e botes motorizados, barracas, geradores, torres de energia, macas, equipamentos de mergulho, além de ferramentas como motosserras, pás e enxadas. Um carregamento do Ministério da Saúde também será levado. Ao todo, são seis kits de medicamentos e insumos, totalizando 870 kg, quantitativo suficiente para atender até 3 mil pessoas por um período de três meses, segundo informações do Ministério.

A tragédia

O Idai foi o ciclone tropical mais forte a atingir Moçambique desde o Jokwe em 2008. A décima tempestade nomeada e o sétimo ciclone tropical da temporada no Índico Sudoeste de 2018-2019, o Idai originou-se de uma depressão tropical que se formou na costa leste de Moçambique em 4 de março. Cerca de 3 milhões de pessoas foram afetadas no sudeste da África, cujas autoridades já contabilizam mais de 700 mortos.

Pela Agência Força Aérea

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é Piloto Comercial, Despachante, Bacharel em Ciências Aeronáuticas, membro da AOPA e veterano da Western Michigan University #GoBroncos