Por falha de software, aviões curvam para o lado errado em aproximações perdidas

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Um problema de software tem feito com que aviões curvem para o lado errado em duas situações específicas, ao seguir trajetórias automáticas de subida após aproximações de pouso perdidas.

Avião Bombardier CRJ-200LR SCAT Air
Bombardier CRJ-200 – Imagem: Alexander Zalessky [CC]

O bug, descoberto em aeronaves Bombardier CRJ-200 equipadas com sistemas de gerenciamento de voo (FMS) fabricados pela Rockwell Collins Aerospace, pode levar os aviões a tentar seguir, após aproximações perdidas, trajetórias que viram para o lado contrário ao pré-determinado.

Descoberta pela primeira vez em 2017, a falha surgiu em casos nos quais os pilotos editaram manualmente uma altitude predefinida de subida, programada em um procedimento de “aproximação perdida” após uma abordagem por ILS (Sistema de Pouso por Instrumentos). Também surgiu em casos em que os pilotos usaram a função de compensação de temperatura do FMS em clima extremamente frio.

Em teoria, o problema poderia ter levado aviões a colidir com o terreno, caso ocorresse em aeroportos próximos de montanhas e os pilotos não estivessem atentos ao lado correto da trajetória padrão.

A primeira ocorrência

O bug foi descoberto pela primeira vez quando uma tripulação de um CRJ-200, que voava para o aeroporto de Fort St. John, no Canadá, usou a função de correção de temperatura do FMC (Computador de Gerenciamento de Voo).

Eles descobriram que o software virou o avião na direção errada enquanto seguia o padrão de aproximação perdida publicado nas cartas aeronáuticas, algo que geralmente não acontece. A falha foi rapidamente relatada às autoridades e aos fabricantes relevantes.

Em uma apresentação publicada no site da Administração Federal de Aviação (FAA) dos EUA, a Rockwell Collins explicou que “um erro no design do software Pro Line 4 FMC causa alterações na direção da curva definida pelo procedimento, durante uma aproximação perdida quando o procedimento é modificado significativamente (…) O FMS pode alterar a direção da curva planejada do banco de dados para uma direção incorreta da curva quando o campo de subida de altitude é editado.”

Correção mandatória

Embora as atenuações e soluções alternativas para o problema tenham sido publicadas com relativa rapidez pela Bombardier e a Rockwell Collins, a FAA emitiu uma diretiva de aeronavegabilidade que obriga que os operadores das aeronaves CRJ-200 desabilitem a compensação automática de temperatura.

A diretiva nº 2020-10-05 descreve que “Essa AD foi motivada por relatos do software FMC emitindo comandos de curva incorretos quando o campo de subida de altitude é editado ou quando a compensação de temperatura é ativada. A FAA está emitindo esta AD para impedir que o FMC emita um comando incorreto de direção da curva. A condição insegura, se não tratada, pode resultar em uma colisão ou em um voo controlado em direção ao terreno.”

A diretiva define o prazo de 12 meses a partir da data de 24 de junho de 2020 para cumprimento, ou seja, até 24 de junho de 2021 todos os operadores que utilizem os FMC’s afetados devem ter cumprido a desativação da função e atualizado o manual de voo das aeronaves com a informação da desativação.

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias