Falha técnica adia o 1º voo controlado da história em outro planeta

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Ingenuity – Imagem: NASA

O primeiro voo da história a ser realizado por uma aeronave controlada em outro planeta deveria ocorrer no último domingo, 11 de abril, mas precisou ser adiado após uma falha identificada nos testes de preparação para a decolagem.

O pequeno helicóptero Ingenuity, ou “Engenhosidade” na tradução para o português, foi enviado a Marte a bordo do rover Perseverance para testar a viabilidade do uso de aeronaves para a exploração do planeta vermelho, e também de um possível uso futuro para locomoção de seres humanos.

Porém, com base nos dados do helicóptero Ingenuity Mars, que chegaram à Terra na noite de sexta-feira, 9 de abril, a NASA optou por reagendar o primeiro voo experimental da pequena aeronave, de pouco mais de 1 kg, para data ainda não definida.

Durante um teste de alta velocidade dos rotores na sexta-feira, a sequência de comando que controla o teste terminou mais cedo devido a uma expiração do cronômetro “cão de guarda” (“watchdog” no termo em inglês). Isso ocorreu quando ele estava tentando fazer a transição do computador de voo do modo ‘Pré-Voo’ para o ‘Voo’. Apesar da falha, o helicóptero está seguro e saudável e comunicou normalmente sua telemetria completa à Terra.

O cronômetro watchdog supervisiona a sequência de comandos e alerta o sistema sobre quaisquer problemas potenciais. Isso ajuda o sistema a ficar seguro ao não prosseguir se um problema for observado e trabalhado conforme planejado.

Após o adiamento, a equipe do Ingenuity anunciou na segunda-feira, 12, que identificou uma solução de software para o problema de sequência de comando verificado no Sol 49 (9 de abril) durante o teste planejado de rotação em alta velocidade dos rotores do helicóptero.

Durante o fim de semana, a equipe considerou e testou várias soluções potenciais para esse problema, concluindo que pequenas modificações e reinstalações do software de controle de voo são o caminho mais robusto a seguir. Esta atualização de software modificará o processo pelo qual os dois controladores de voo inicializam, permitindo que o hardware e o software façam a transição com segurança para o estado de voo.

As modificações no software de voo estão sendo revisadas e validadas de forma independente em bancos de teste no Laboratório de Propulsão à Jato (JPL).

Embora o desenvolvimento da nova mudança de software seja direto, o processo de validá-lo e concluir seu uplink (envio) para o Ingenuity levará algum tempo. Um cronograma detalhado para reagendar o teste de rotação em alta velocidade e o primeiro voo ainda está em andamento.

Imagem: NASA

O processo de atualização do software de controle seguirá os processos estabelecidos para validação com etapas cuidadosas e deliberadas para enviar o novo software através do rover para a estação base e, em seguida, para o helicóptero. Marcos intermediários incluem:

• Diagnosticar o problema e desenvolver soluções potenciais
• Desenvolver / validar e fazer upload de software
• Carregar software de voo nos controladores de voo
• Boot do Ingenuity em um novo software de voo

Depois de ultrapassar esses marcos, a aeronave será preparada para seu primeiro voo, em um processo que levará vários sóis, ou dias de Marte. Segundo a NASA, a melhor estimativa de uma data de voo é incerta agora, mas a equipe trabalha para atingir os marcos e definir uma data de voo na próxima semana.

Funções críticas como energia, comunicações e controle térmico do Ingenuity estão estáveis.

“Não é surpresa que uma demonstração de tecnologia como essa encontre desafios que precisam ser trabalhados em tempo real. A abordagem de alto risco e alta recompensa que adotamos para o primeiro voo motorizado e controlado em outro planeta nos permite expandir o desempenho de maneiras que não poderíamos com uma missão projetada para durar anos como o Perseverance. Enquanto isso, enquanto a equipe do Ingenuity faz seu trabalho, o Perseverance continuará a fazer ciência com seu conjunto de instrumentos.”, conclui a NASA.

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Avião Embraer ERJ-145 CommutAir United Express

Jatos Embraer ERJ-145 da CommutAir ganham uma renovação total em seu...

0
A empresa aérea regional americana CommutAir anunciou na segunda-feira (6) o lançamento de um esforço para atualizar e substituir