FBI irá fazer parte da investigação criminal sobre o Boeing 737 MAX

O FBI, a Polícia Federal americana, irá se juntar a força tarefa do Departamento de Transportes para investigar os fatos envolvendo a certificação do 737 MAX da Boeing.

Acusações surgiram que a FAA e a própria Boeing estariam acelerando o processo, ignorando certas etapas e requerimentos para poder atender prazos diante da concorrência do A320neo da Airbus.

Apesar de não estar claro quais serão as funções dos agentes do FBI, a proximidade do escritório de Seattle com a planta da Boeing em Renton seria um dos motivos.

Mas não seria a primeira vez: em 98 o próprio Departamento de Transporte atuou juntamente com o FBI após acusações de irregularidades de manutenção da Alaska Airlines.

A investigação foi expandida após um acidente em janeiro de 2000 que vitimou 88 pessoas. O NTSB que faz a investigação de acidentes aeronáuticos nos EUA concluiu que o acidente foi causado por manutenção ruim e falta de fiscalização pela FAA.

Apesar de na época ter gerado uma investigação criminal, a Alaska e nem a FAA foram denunciadas. Mas a aérea foi multada em $44 mil dólares pela FAA.

O trabalho do FBI deve girar em torno de suporte ao Departamento de Transporte com tecnologias, obtenção de provas e caso necessário denúncia criminal em nível federal.

Com informações do Seattle Times

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é Piloto Comercial, Despachante, Bacharel em Ciências Aeronáuticas, membro da AOPA e veterano da Western Michigan University #GoBroncos