flybmi cancela todos voos e declara falência

A aérea regional britânica flybmi anunciou hoje que cancelou todos os seus voos e entrou com pedido de insolvência. É a segunda aérea europeia em fechou as portas nos últimos 15 dias: no último dia 05 a alemã Germania encerrou suas operações.

Em nota oficial a companhia afirmou que os recentes aumentos no preço do combustível e a incerteza sobre a saída do Reino Unido da União Europeia, o Brexit, impactaram negativamente a empresa.

“A companhia passou por diversas dificuldades, incluindo o recente aumento no preço do combustível e dos custos de carbono após a decisão da Comissão Europeia em excluir as aéreas britânicas do Emissions Trading Scheme (acordo para redução de emissões de carbono que dá créditos de carbono/subsídios para as aéreas que reduzirem emissões).
Estes problemas minaram os esforços da companhia em obter lucro. As negociações atuais e perspectivas futuras também foram seriamente afetadas pelas incertezas geradas pelo Brexit, que nos levou na incapacidade de assegurar contratos de voo pela Europa e falta de confiança na capacidade da flybmi voar pela Europa” declarou a companhia.

A nota oficial ainda fala que com a situação descrita acima se tornou impossível que os sócios continuassem a investir, apesar da captação de
£40 milhões de libras (R$190mi) nos últimos seis anos.

A companhia operava uma frota totalmente Embraer, com três jatos E135 e 14 do modelo maior E145. No último ano a flybmi realizou 29 mil voos levando 522 mil passageiros.

Capítulo final da British Midland

A marca bmi maioria das vezes se remete à grande aérea que foi membro da Star Alliance.

A aérea começou como Derby Airways na cidade de Manchester e em 1964 se tornou a British Midland Airways. O nome continuou assim até que em 2000 a aérea SAS que possuía grande participação na aérea vendeu metade de suas ações para a Lufthansa.

A partir deste ano uma revisão da marca foi feita e ela se tornou a British Midland International, ou simplesmente bmi. No mesmo ano a aérea entrou na Star Alliance e em 2009 foi completamente adquirida pela Lufthansa.

Tudo durou até 2012 quando a Lufthansa vendeu a bmi para o grupo IAG, que controla a British Airways e Iberia. Os aviões foram transferidos para a British com exceção dos dois Airbus A330. A subsidiária low-cost bmibaby foi também adquirida pelo IAG, mas a regional flybmi (na época bmi regional) não foi incluída no pacote.

Por sua vez a regional foi vendida para o grupo escocês de investimento Sector Aviation Holdings e hoje fechou as portas.

Com informações da BBC

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias