Primeira low-cost argentina, FlyBondi recebe aprovação para voar ao Brasil.

Empresa ainda não anunciou se opera Boeing ou Airbus

Na manhã de hoje a ANAC (da Argentina), publicou uma série de documentos com as rotas solicitadas por várias empresas aéreas durante a audiência pública de 27 de dezembro passado. Nesse post falaremos da FlyBondi, a primeira empresa low-cost da história argentina, que planeja iniciar operações em 2017 e foi a empresa que mais pediu rotas ao governo de seu país.

Das 99 rotas solicitadas pela FB Linhas Aéreas (razão social da FlyBondi), 78 foram aprovadas. A maioria dos voos são domésticos, partindo de Buenos Aires, com os quais a empresa promete revolucionar o transporte aéreo argentino.

 




 

Por sua vez, dos 42 voos internacionais, somente 6 saindo de Buenos Aires foram rejeitados. Estes destinos seriam São Paulo, Rio de Janeiro, Santiago, Assunção, Lima e Santa Cruz de la Sierra. A junta decisória argumentou que já há bastante oferta nesses trechos. Adicionalmente, todos os voos internacionais a partir do interior da Argentina foram aceitos pela ANAC

Confira todas as rotas para o Brasil que foram aprovadas e que podem ser iniciadas nos próximos anos, quando a empresa estiver operando efetivamente:

– De Buenos Aires a Salvador, Florianópolis, Porto Alegre, Recife, Curitiba, Fortaleza, Natal, Porto Seguro, Brasília, Belo Horizonte e Maceió;

– De Córdoba a São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador;

– De Mendoza a São Paulo e Rio de Janeiro;

– De Rosário a São Paulo e Rio de Janeiro

– De San Carlos de Bariloche a São Paulo;

– De Salta a São Paulo;

– De Puerto Iguazu a São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Porto Alegre.

Observação: as rotas foram aprovadas pelo Governo Argentino, baseado no acordo existente entre os países. A ANAC brasileira também precisa aprovar as operações dessas empresas no Brasil, o que (imaginamos) não será um grande empecilho.

 

A empresa

Um grupo de empresários argentinos, amparados em fundos provenientes de grandes nomes da indústria aeronáutica, deu início à ideia de uma companhia aérea no conceito ultra low-cost no país portenho, a FlyBondi.

Por trás do projeto, como investidores, estão nomes como Michael Cawley, membro do conselho da Ryanair, Montie Brewer, ex-CEO da Air Canada e Robert Wright, fundador da British Airways Citiflyer Express, além do argentino Gastón Parisier e do suíço Julian Cook. Juntos, os investidores teriam aportado US$ 75 milhões com objetivo de iniciar as operações já em 2017, dando início à primeira empresa de baixo custo da história argentina.

O conceito já é conhecido no Brasil, promoveu a inclusão e fez com que um novo mercado, cheio de viajantes que antes não voavam, fosse atingido e passassem a usar do avião como meio de transporte. Na Argentina, apenas 10% da população usa avião e a companhia projeta que 50% dos argentinos estarão voando em cinco anos.

Dentre os planos da empresa estão começar com 6 aeronaves e chegar a uma frota de 25 (modelo ainda não divulgado), em 5 anos, com os quais se almeja transportar 8 milhões de passageiros em voos domésticos e regionais. A Flybondi já se encontra inscrita como sociedade anônima desde 24 de Junho de 2016.

Veja informações detalhadas sobre as novas rotas da FlyBondi em nosso parceiro argentino Aviacionline

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Voo internacional da LATAM retorna à origem após granizo trincar o...

0
Um Airbus da LATAM decolou de São Paulo nesta tarde, mas teve que retornar após ter seu para-brisa atingido por um granizo.