Início Aviação Militar Força Aérea Brasileira receberá mais aviões de caça Gripen E em novembro

Força Aérea Brasileira receberá mais aviões de caça Gripen E em novembro

Gripen da Força Aérea Brasileira – Imagem: Força Aérea Brasileira

Em junho deste ano, repercutimos aqui no AEROIN a notícia de que, dos seis caças Gripen E a serem entregues pela SAAB, quatro delas terão como destino a Força Aérea Brasileira e as outras duas seriam transferidas para a França. Agora, segundo informa Mikael Franzén, vice-presidente de marketing e vendas da SAAB, das quatro aeronaves, duas já estão prontas e as outras duas estão em fase final de produção.

Em entrevista ao jornal Valor Econômico, Franzén detalha que, após sair da fábrica em Linköping, na Suécia, dois caças virão juntos a bordo de um navio de carga e, posteriormente os outros dois chegarão de forma separada ao Brasil também via marítima.

O vice-presidente ainda destaca na entrevista que há “um simulador de voo em Gavião Peixoto, o único fora da Suécia, e estamos apoiando a FAB na introdução das aeronaves. Um piloto de testes está aqui em Linköping [Suécia] agora mesmo, trabalhando com a nossa equipe, há dois pilotos de testes da FAB e outros dois da Embraer no interior de São Paulo”.

Até o momento, o contrato firmado em 2014 com a SAAB prevê a entrega 36 jatos, sendo uma boa parte montados no Brasil, em Gavião Peixoto, no interior de São Paulo. Além das aeronaves, o contrato também abrange a manutenção de armas, simuladores e treinamento de pilotos, pontos esses reforçados por Franzén.

Em nota, o Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER) confirmou o recebimento dizendo que “A previsão é de que as quatro primeiras aeronaves de série Gripen E estejam com a fase de produção encerrada e sejam apresentadas à FAB em novembro deste ano, sendo que as duas primeiras serão embarcadas para o Brasil, em seguida, para início das atividades no Centro de Ensaios em Voo do Gripen, em Gavião Peixoto, onde pilotos de prova FAB, da Embraer e da Saab executarão ensaios em voo até que o certificado militar esteja pronto. As outras duas aeronaves devem ser embarcadas no primeiro semestre de 2022”

Leia mais:

Sair da versão mobile