Força Aérea Japonesa venderá dois Boeing 747 para desmanche por US$12 mi

Força Aérea Japonesa 747
Foto de Mr-haruka

A Japan Self-Defense Air Force (Força Aérea Japonesa) anunciou no final do mês de maio de 2019 que suas duas aeronaves Boeing 747-400 serão vendidas para desmanche a um valor de cerca de US$ 12 milhões.

Um fato interessante relacionado a essa decisão é que o interior de uma das aeronaves será cuidadosamente desmontado e, posteriormente, ficará exposto em um museu, enquanto que as demais peças serão vendidas como reposição.

A venda dos jumbos faz parte do projeto de renovação da frota de transporte VIP da Força Aérea Japonesa. Em abril, a empresa substituiu oficialmente os jumbos de mais de 28 anos por modernos Boeing 777-300ER.

Historicamente, a Boeing e o Japão possuem grande proximidade e parceria em projetos. Tal relacionamento, facilitou a manutenção de modelos Boeing na frota imperial.

Força Aérea Japonesa 777
Foto de kaoru hayashi [CC BY-SA 2.0]

Para se ter uma ideia do quanto esses Boeing 747 voaram, somente nos últimos 7 anos, o primeiro-ministro Shinzo Abe visitou 78 países, em 176 viagens. As aeronaves também foram usadas 15 vezes para voos domésticos com a Família Imperial.

Outras missões importantes foram conduzidas. Em 2004, os 747s participaram do resgate de cidadãos japoneses que foram levados para a Coréia do Norte décadas antes. No mesmo ano, eles levaram tropas japonesas em missões humanitárias no Iraque. Em 2013, os jumbos levaram ao Japão os corpos de japoneses mortos durante uma crise com reféns na Argélia.

Como se pode notar, a aeronave possui uma grande história e trajetória. Pensando nisso, o governo do japonês conclamou o povo para que ajudasse a definir o destino do avião. Então, após várias consultas públicas, o país resolveu reciclar a fuselagem, vender as demais peças e guardar o interior em um mudeu.

Grande orgulho de ver uma nação que preza e preserva sua história.

Informações do FlightGlobal

Carlos Ferreira

É profissional de marketing e pesquisador de temas relacionados à aviação há quase duas décadas. Leva a câmera fotográfica para onde vai e faz mais fotos de aviões do que dos passeios. Responsável pela linha editorial da revista eletrônica AEROIN.net.