Fortaleza receberá voo da Ethiopian Airlines pela primeira vez

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram.

A capital do Ceará, Fortaleza, receberá pela primeira vez um voo da Ethiopian Airlines, trazendo uma carga especial a bordo do Boeing 777F.

Boeing 777F Ethiopian Airlines

A companhia etíope tem liderado os voos cargueiros e de repatriamento para o Brasil durante a Pandemia do Coronavírus. A empresa já fez voos para São Paulo e Belo Horizonte, e agora a capital cearense receberá um voo especial.

O Boeing 777F da companhia, que tem capacidade para levar até 102 toneladas de carga, irá trazer equipamentos médicos da China com uma escala na Etiópia.

A carga foi encomendada pelo governo local, que escolheu a Ethiopian Airlines para evitar passar pela Europa ou EUA, onde ela poderia ser revendida.

O pouso do jato na capital cearense é previsto às 14h00 do dia 26, com decolagem planejada para horas mais tarde, rumo a Adis Abeba, na Etiópia.

Empresa disponibiliza sua tecnologia farmacêutica para a luta global contra o COVID-19

Em resposta à crescente demanda por serviços de carga aérea após a disseminação da COVID-19, a Ethiopian Airlines vem designando sua enorme capacidade de carga para facilitar o fluxo de cargas essenciais, como suprimentos médicos, sempre e onde necessário.

A ala farmacêutica de ponta da Ethiopian Cargo & Logistics Services, que fica no maior terminal de transbordo da África, tem sido fundamental para o manuseio e transporte eficazes de suprimentos médicos da companhia aérea em toda a África e para outras áreas do mundo.

Equipada com áreas de armazenamento e manuseio de produtos farmacêuticos com temperatura controlada, o Pharma Wing é adequado para a manipulação de suprimentos médicos em diferentes faixas de temperatura através do uso de contêineres ativos e sistema de monitoramento de temperatura em tempo real.

Uma equipe dedicada e treinada, que fica localizada nesta ala, garante que todas as operações sejam realizadas de acordo com as regras e regulamentos da IATA e de outros órgãos reguladores em toda a cadeia de suprimentos.

“A Ethiopian Airlines tem sido uma facilitadora essencial no esforço global para controlar a COVID-19, contribuindo com o transporte de suprimentos médicos para diferentes partes do mundo. Nos sentimos privilegiados em servir o mundo neste momento difícil, disponibilizando nossa tecnologia na área farmacêutica, bem como nossa frota de carga e de passageiros”, afirmou Tewolde GebreMariam, CEO do Grupo Ethiopian Airlines, sobre o importante papel da Ethiopian Cargo & Logistics Services e suas instalações em meio à pandemia.

“Agora que Adis Abeba foi designada como Centro Aéreo Humanitário pelo PAM (World Food Programme) e pela OMS (Organização Mundial da Saúde) devido às nossas instalações, vasta malha aérea de 127 destinos e frotas internacionais, reforçaremos ainda mais nosso trabalho como o principal provedor de serviços de carga aérea na África”, complementou ele.

Atualmente, a Ethiopian Cargo & Logistics Services está transportando por mês uma média de 1,4 milhão de kg de produtos de saúde sensíveis à temperatura, incluindo medicamentos, produtos biológicos, biotecnologias, diagnósticos, vacinas e dispositivos médicos, entre outros.

A companhia também está trabalhando em estreita colaboração com o governo e grandes empresas locais para garantir que os suprimentos médicos para combater a COVID-19 cheguem em solo brasileiro. Além disso, a Ethiopian Airlines continua a repatriar os brasileiros por meio de seus voos regulares que estão em operação e também por meio de operações especiais de fretamento de todo o mundo.

“A Ethiopian Airlines continua ao lado do mercado brasileiro em tempos bons e ruins. Somos solidários com o Brasil nestes tempos de crises e estamos colocando todos os nossos esforços para que o mercado e o povo brasileiro tenha o menor impacto possível”, afirma Girum Abebe, gerente geral da Ethiopian Airlines na América Latina.

Deve-se lembrar que diferentes agências da ONU, governos doadores e filantropos estão usando Addis Abeba como o centro de distribuição de suprimentos médicos em toda a África como parte do esforço global para conter a COVID-19.

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias