Frontier pode ser a 1ª Ultra-Low-Cost a voar para o Brasil

Com a encomenda de Airbus A321XLR para a Indigo Partners (incluindo a chilena JetSMART) a subsidiária americana de ultra-baixo-custo Frontier já tem grandes planos para o seu novo jato.

O CEO da companhia Barry Biffle afirmou durante o Paris Air Show que o A321XLR “irá permitir que voemos de costa à costa nos EUA, além de alcançar o Havaí com máximo de passageiros e oportunidades internacionais interessantes tanto na Europa como América do Sul”.

O comentário não é atoa: o A321XLR pode voar sem praticamente nenhuma restrição nenhuma do hub da companhia em Orlando para qualquer cidade brasileira.

Apesar da companhia ser baseada em Denver no Colorado, Barry afirma que a demanda não está nas Rochosas (em referência a região cordilheira Rocky Mountains que corta parte da costa-oeste americana).

O avião pode voar de maneira vasta pela América do Sul afirmou o CEO. Mercados em parceria com a empresa “irmã” JetSMART, que recentemente abriu uma subsidiária na Argentina e também adota animais em sua cauda como a Frontier.

As ULCCs – Ultra Low Cost Carriers

Você provavelmente já se deparou com o termo Low-Cost, que representa as companhias aéreas de baixo-custo, porém o termo Ultra-Low-Cost ainda é algo novo no Brasil.

Lembramos novamente que Cost é o custo da empresa em rodar a operação, não custo da passagem aérea oferecida para o consumidor, o nome disso é Fare.

O termo surgiu nos EUA com a Spirit Airlines em meados de 2007, sendo seguido pela Frontier e a Allegiant Air.

A principal diferença de uma Low-Cost regular para a ULCC são as cobranças sem exceção: se cobra para levar bagagem de mão (só pode levar algo que caiba abaixo do assento a frente), se cobra para fazer o check-in presencial, se cobra para imprimir o cartão de embarque e se quiser marcar assento é cobrado independente da antecedência do voo.

Este modelo chegou na América do Sul com a JetSMART e tem sido um sucesso no Chile com tarifas realmente mais baratas. É muito provável que o modelo ULCC chegue ao Brasil através da holding Indigo Partners: seja com a JetSMART ou com a Frontier.

Porém no Brasil a holding provavelmente teria problemas ao implementar o modelo de maneira total: provavelmente a questão da cobrança de check-in presencial / impressão do cartão de embarque iria gerar reações por parte de usuários e entidades do governo.

Com informações da FlightGlobal

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é Piloto Comercial, Despachante, Bacharel em Ciências Aeronáuticas, membro da AOPA e veterano da Western Michigan University #GoBroncos