Frota e rotas bizarras: Goldstar é a aérea mais enrolada do mundo

Goldstar Airlines
Esse “767” (como a empresa chamou esse 777) ilustrou a capa do site por algum tempo

Existem start-ups que vêm para transformar mercados, outras melhoram o que já existe e há aquelas que parecem um grupo de adolescentes brincando no Photoshop. Nesse contexto, a Goldstar Airlines parece se enquadrar no terceiro grupo.

Em estágio pré-operacional desde 2014, a empresa foi responsável por múltiplos embates com o governo de Gana, sendo que alguns deles viraram vergonha nacional. Seu site, frota e mapa de rotas é muito estranho e, apesar de nunca ter operado nenhum avião, traça planos para dominar o mundo, ao melhor estilo Pink & Cérebro.

A frota super diversificada e as fotomontagens “elaboradas”

Tudo começou em 2014, quando a empresa fez uma grande festa na cidade de Accra para comemorar seu nascimento. Parecia que algo grande estava por vir, quem sabe uma empresa que conectaria Gana ao mundo, além de servir como um importante centro de conexões, como faz a Ethiopian Airlines ou a Royal Air Maroc no continente.

Pouco depois, em 2015, a empresa divulgou um ambicioso plano de incorporar aeronaves de grande porte e estabelecer uma rede mundial de voos. Seus planos incluíam os mais diversos modelos de grandes jatos, como Boeing 747, 767, 777, MD-11 e até 787. À época, várias mídias ao redor da África e do mundo divulgaram matérias sobre a nova empresa que chegava forte no mercado para concorrer com algumas grandes já estabelecidas.

A empresa também chegou a divulgar em site algumas montagens de aeronaves (ou algo do tipo) com suas cores, como é o caso desse híbrido ‘de nada com coisa nenhuma’ da imagem abaixo.

Goldstar Airlines
Essa fotomontagem estava no site da empresa…

Mas, na medida em que o tempo foi passando, parece que o fogo foi se apagando e começou-se a notar que algo estava errado. Os planos revolucionários davam lugar a uma estratégia mais humilde, a de operar com um Boeing 737-300 e três Boeing 767-200 de segunda mão.

Goldstar Airlines
Montagem de 777. Amador, mas mais bonito que o híbrido acima

O mapa de rotas mais bizarro que você vai ver hoje

De que adianta ter Boeings de todos os tamanhos e não ter um mapa de rotas à altura? Se o site da companhia apresentava aeronaves coloridas ‘manualmente’, o mapa de rotas não poderia ser menos pitoresco. Infelizmente, a empresa retirou o site antigo do ar no começo de julho de 2019, mas deu tempo de capturar algumas imagens para compartilhar nessa matéria.

Os planos eram mirabolantes e pretendiam ligar Gana ao mundo, incluindo destino no Brasil. Em certo momento, a empresa divulgou o seguinte mapa de rotas. Observe cuidadosamente a localização das cidades…

Goldstar Airlines

Mas talvez a coisa mais louca nem seja o mapa de rotas em si, e sim o plano da empresa operar voos a partir de Baltimore e Londres para o Caribe, tendo as cidades nos EUA e Reino Unido como hubs. Vejam o trecho extraído do site da empresa:

Our European hub will be Stansted airport which will service flights going to Accra and the Caribbean, making some pick ups in some European cities before its destination in the Caribbean. Our hub in the Caribbean will service flights to Baltimore and Stansted. whiles the Accra hub services West Africa, Dubai and Guangzhou, Baltimore hub will as well service flights to Accra and the Caribbean.

A tradução seria algo assim:

Nosso hub europeu será o aeroporto de Stansted que terá voos para Accra e o Caribe, fazendo algumas escalas em algumas cidades europeias antes de chegar ao seu destino caribenho. Nosso hub no Caribe servirá Baltimore e Stansted, enquanto que o hub de Accra atenderá o oeste africano, Dubai e Guangzhou, o hub de Baltimore também atenderá voos para Accra e o Caribe.

Os planos eram ambiciosos de verdade, mas o que a empresa se esqueceu foi que, antes de falar de aviões e rotas, era necessário conseguir uma licença para operar. E convenhamos, nos países africanos, de altíssimo índice de corrupção, conseguir uma certificação como essa não deve ser tarefa fácil. Resultado: processo virou uma briga em rede nacional.

Briga pública e venda clandestina de passagens

Muitas foram as idas, vindas e desentendimentos com a GCAA (autoridade da aviação civil em Gana). Depois de uma larga espera e sem vislumbrar um acordo, os executivos da empresa parecem ter surtado.

Foi então que, em meados de 2016, a empresa comunicou ao mercado que estaria comprando três aeronaves e começou a vender passagens em seu site, a revelia das autorizações do governo, na total clandestinidade.

Logo em seguida, a GCAA emitiu a nota abaixo ao mercado, comunicando que a empresa aérea estava tentando operar sem as certificações, e que tinha grande preocupação. A nota foi lida em toda a imprensa de Gana e causou a resolva dos executivos.

Como resposta, a Goldstar disse que havia uma conspiração em curso para manchar sua imagem e impedi-la de operar. Tudo isso aconteceu em rede nacional e acabou transbordando para outros países, tornando-se uma verdadeira vergonha nacional.

Goldstar Airlines

Nunca operou, mas ganhou prêmios de… eficiência operacional

No ano de 2017, em meio ao caos, ainda sendo citada de maneira negativa na mídia e sem nunca ter operado, a empresa foi condecorada como a mais promissora empresa aérea do ano.

E pasme, na premiação, a organização do evento ressaltou que a “escolha foi cuidadosamente feita, considerando a performance de negócios, que busca a total satisfação do cliente”. É inacreditável.

E daqui para frente, o que esperar? Não muito…

Tudo o que a empresa vem falando desde 2014 nunca saiu do papel.

Em 2018, o principal executivo da empresa anunciou (de novo) ao mercado a chegada de cinco aeronaves Boeing, que seriam batizadas com nomes de personalidades de seu país. Ele também ressaltou que a empresa criaria imediatamente cinco mil postos de trabalho diretos indiretos. Até agora, nada.

Já em 2019, a ‘premiada’ empresa que nunca voou lançou um novo site, menos bizarro do que o primeiro, é verdade, mas igualmente amador e com images de aviões de outras empresas aéreas. Nele, a empresa cita que conseguiu da GCAA o desejado certificado de operador aéreo e que buscaria por Boeings 767-300ER. Só que até o momento, nada de concreto.

Quem sabe se você, leitor, acessasse o site da companhia e tentasse desvendar o que a Goldstar está preparando para 2019. Será que agora vai?

Goldstar Airlines
A empresa chegou a divulgar essa imagem, prometendo voos com o 747

Carlos Ferreira

É profissional de marketing e pesquisador de temas relacionados à aviação há quase duas décadas. Leva a câmera fotográfica para onde vai e faz mais fotos de aviões do que dos passeios. Responsável pela linha editorial da revista eletrônica AEROIN.net.