GOL divulga lucro de R$ 1,1 bilhão e 30 milhões de passageiros transportados.

A GOL Linhas Aéreas Inteligentes anunciou nesta sexta ao mercado seu resultado consolidado do ano de 2016. O lucro líquido registrado para o ano foi de R$1,1 bilhão, sobre uma receita de R$ 9,9 bilhões, representando uma margem líquida de 11,2%.

O resultado destoa muito do ano anterior, quando as perdas chegaram a R$ 4,29 bilhões, com margem líquida negativa de 43,9%. O resultado desse ano é reflexo da melhoria operacional da Companhia e da valorização do real frente ao dólar.




 

Mercado doméstico

A capacidade no mercado doméstico reduziu 5,4% no acumulado do ano, reflexo do início dos ajustes ocorridos na malha em maio de 2016. A demanda doméstica recuou 5,5% em 2016, levando a taxa de ocupação a 77,9%, uma redução de 0,1 p.p. em comparação a 2015.

A GOL transportou no mercado doméstico 30,7 milhões no ano, o que representa uma queda de 16,4%, quando comparado com 2015. A Companhia é a aérea líder em transporte de passageiros no mercado doméstico brasileiro de aviação.

Cinco aeronaves Boeing 737 foram devolvidas para os lessores durante o 4T16, reduzindo a frota total operacional para 121 aeronaves. Sete 737s serão devolvidas ao longo do 1T17. A dívida total, incluindo arrendamentos capitalizados, foi reduzida em R$ 2,9 bilhões durante 2016.

 

Mercado internacional

A oferta internacional da GOL teve uma redução 17,0% em 2016, em comparação a 2015. A demanda internacional apresentou uma retração de 13,6%, levando a taxa de ocupação internacional a 74,6%.

No ano de 2016, a Companhia transportou 1,88 milhão de passageiros, um decréscimo de 10,2% em relação a 2015.

 

Volume de decolagens e Total de assentos

O volume de decolagens no sistema total foi reduzido em 17,2% no ano de 2016, em linha com a projeção divulgada para 2016 de aproximadamente 17% de redução. O total de assentos disponibilizados ao mercado recuou 16,9% no acumulado de janeiro a dezembro de 2016, resultado também em linha com a projeção divulgada para 2016 de aproximadamente 17% de redução.

Todas as informações são apresentadas em IFRS, em Reais (R$) e as comparações referem-se ao ano de 2015, exceto quando especificado de outra forma.

Fonte: GOL – Relações com Investidores