Governo alemão confirma encomenda de três A350 VIP

A350 Executivo – Airbus/Divulgação

Como noticiamos, a força aérea alemã, Luftwaffe, confirmou o pedido de três aeronaves Airbus ACJ350-900, na estratégia de substituir seus antigos A310 e A340, que têm sido causa de diversas dores de cabeça devido aos recorrentes problemas técnicos.

O conjunto de aeronaves irá substituir os dois A340-300, de matrículas 16+01 e 16+02, com 19 anos de idade, além do A310 de matrícula 10+23 com 29 anos de idade. Os quadrijatos A340 são ex-Lufthansa e o A310 pertenceu falida Interflug.

A primeira aeronave será entregue em 2020 e as outras duas em 2022. Por ser uma aeronave em configuração especial, o ACJ350-900 tem autonomia de até 22 horas de voo.

A350 na pintura da Luftwaffe. Montagem.

Problemas com o A310 e A340

No último novembro a chanceler Angela Merkel não conseguiu chegar para a abertura do encontro do G20 devido a uma pane no A340, que logo após a decolagem de Berlim alternou para Colônia.

Dois dias atrás um problema na APU deixou o presidente alemão Frank-Walter Steinmeier preso na Etiópia pela segunda vez. A primeira vez foi em 2014 quando Frank ainda era Ministro das Relações Exteriores e um pneu do A340 estorou causando atrasos na saída de Adis Abeba.

A310 da Luftwaffe

Além dos dois problemas na Etiópia, Frank enfrentou outros contratempos com os aviões oficiais: atraso de seis horas na China, janela do cockpit quebrada na Letônia, um pouso não previsto em Viena em 2006 após problemas na pressurização e em último julho uma viagem cancelada ao Belarus devido a problemas hidráulicos.

Após esse histórico e o problema do último dia 30, Angela Merkel convocou o ministro da defesa e de finanças para achar uma solução rápida para a frota da Flugbereitschaft, a divisão de transporte de membros do governo, equivalente ao Grupamento de Transporte Especial da Força Aérea Brasileira.

A Ministra da Defesa tem pressa para adquirir os jatos. Uma proposta para utilização de 25 milhões de euros será feita ao Comitê de Orçamento para a aquisição da primeira aeronave. O Ministro das Finanças Olaf Scholz já deu a luz verde e a compra deve ser efetuada em breve.