Início Indústria Aeronáutica Governo da Índia interessado na compra da Embraer

Governo da Índia interessado na compra da Embraer

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

O governo da Índia afirmou seu interesse em adquirir um pedaço da brasileira Embraer, que desfez meses atrás um acordo com a Boeing.

Foto Embraer

Segundo o jornal financeiro indiano Business Standard, um oficial do alto-escalão do governo indiano afirmou: “estamos muito interessados e explorando as alternativas” sobre a aquisição da Embraer Jatos Comerciais.

A informação chega meses depois de surgirem rumores levantados pela Reuters de que Rússia, Índia e China, que também são membros dos BRICs, poderiam estar interessadas na divisão da Embraer, semanas após o cancelamento do acordo com a Boeing. Esta última tinha um acordo para aquisição da divisão de jatos comerciais da fabricante brasileira, mas desistiu no último minuto por razões não claramente divulgadas – Embraer e Boeing se acusaram de rompimento de contrato e levaram a quebra contratual aos tribunais.

Agora, segundo o Business Standard, as conversas estariam acontecendo entre a Embraer e os indianos a ponto de os últimos estarem discutindo financiamentos para realizar a operação através de fundos soberanos, utilizando reservas internacionais da Índia.

“O governo brasileiro apoiaria, naturalmente, qualquer contribuição à Embraer e ao fortalecimento das relações bilaterais”, disse uma pessoa não-identificada da embaixada brasileira ao jornal indiano.

A compra pela Índia poderia ser algo que agradaria ao governo brasileiro, por ser um mercado emergente com aviação em franco crescimento. Vale lembrar que, apesar de ser acionista minoritário através do BNDES, o governo brasileiro possui uma golden share, ou ação de ouro, que tem poder de vetar qualquer decisão do conselho de investidores, mesmo a empresa sendo privada.

Em nossa opinião, a Embraer pode necessitar de um parceiro forte num momento em que a pandemia ainda afeta os negócios do setor aéreo. Além da necessidade de emplacar de vez os jatos do programa Embraer E2 e o cargueiro militar KC-390, que não conseguiram vendas massivas até agora e contam com uma concorrência forte.

Nota da EMBRAER

A Embraer, por sua vez, emitiu uma nota informando que não tem planos de vender nenhuma de suas unidades nesse momento. Segue a nota:

“Não há planos de vender a unidade de aviação comercial ou de qualquer outra área de negócios. A companhia está aberta para discutir apenas parcerias de crescimento voltadas a projetos específicos ou inserção em mercados”.

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A