Início Acidentes e Incidentes Grande avião parte de Campinas, roda por 1h no céu e pousa...

Grande avião parte de Campinas, roda por 1h no céu e pousa de volta (duas vezes)

Um grande avião Boeing 747 parece estar apresentando uma pane neste domingo, 1º de agosto, que tem atrapalhado, já por duas vezes seguidas, o cumprimento da operação padrão da empresa aérea entre o Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), e o de Santiago, no Chile.

Tudo começou nas primeiras horas do dia de hoje, quando o Boeing 747-400F registrado sob a matrícula N403KZ, operado pela empresa aérea americana Kalitta Air, decolou de Viracopos no voo de número CKS-539. O popular Jumbo Jet havia chegada a Campinas poucas horas antes, na noite do sábado, vindo de Miami, e então partia no início do domingo para a continuidade do serviço cargueiro até Santiago.

A decolagem pela pista 15 do aeroporto do interior paulista aconteceu à meia-noite e nove minutos do horário local, mas, apenas 5 minutos depois, ainda próximo ao aeroporto, o Jumbo foi estabilizado por seus pilotos a 7.600 pés de altitude (cerca de 2.300 metros) e colocado em um percurso de órbitas de espera.

O Jumbo desviando o voo logo após partir – Imagem: RadarBox

Então, após completada a primeira órbita, os pilotos levaram o Boeing 747 até 10.000 pés de altitude (cerca de 3.000 metros) e continuaram a efetuar órbitas padrão. Foram mais de 35 minutos rodando na mesma posição, o que totalizou mais 7 percursos.

Embora ainda não confirmado, possivelmente o longo tempo de espera tenha relação com a necessidade de gastar parte do combustível para que o Jumbo se adequasse ao seu peso máximo de pouso.

Essa é uma prática comum na aviação, pois aviões são capazes de decolar com muito mais peso do que o valor limite do pouso, afinal, a carga exercida pelo peso do avião sobre o trem de pouso e sobre sua estrutura é muito maior no pouso do que na decolagem. Em alguns modelos, existe até um sistema para que o combustível possa ser alijado no ar durante o próprio voo, ao invés dessa necessidade de gastar o fluido voando.

Após deixar o ponto de realização das órbitas, já com 50 minutos desde a partida, os pilotos do Boeing 747 cargueiro levaram-no de volta ao aeroporto de Viracopos. Foi executada uma aproximação e um pouso seguro exatamente 1 hora após a decolagem, à 01h09, pela mesma cabeceira 15.

Boeing 747-400F da Kalitta, igual ao envolvido no problema deste domingo

Não houve declaração de urgência ou emergência pelos pilotos ao controle de tráfego aéreo, o que indica não se tratar de algum problema grave que gere necessidade de prioridade de pouso ou risco iminente de acidente. Após a chegada, o Jumbo taxiou para o pátio de cargas de Viracopos sem necessidade de qualquer auxílio de solo.

Tudo de novo 3 horas depois

Após permanecer em solo por pouco mais de 3 horas, o N403KZ foi novamente levado à cabeceira 15 do Aeroporto de Viracopos para finalmente prosseguir com seu voo CKS-539 para Santiago.

A decolagem ocorreu às 04h25, porém, tudo aconteceu de novo de forma semelhante. Cerca de 5 minutos após a partida, o Jumbo foi desviado de sua rota planejada, elevado mais uma vez até 10.000 pés e colocado em percurso de órbitas padrão.

O desvio do Jumbo na segunda partida – Imagem: RadarBox

Conforme o registro de radar acima, o ponto das esperas dessa vez foi um pouco mais afastado de Campinas, possivelmente para não atrapalhar o tráfego mais intenso de chegadas de aviões ao aeroporto, devido ao horário do início da manhã, bastante movimentado.

Depois de quatro órbitas e cerca de 35 minutos desde a decolagem, o Boeing 747-400F foi levado de volta até a aproximação para a cabeceira 15 do aeroporto paulista.

O pouso ocorreu às 05h13, quase 50 minutos depois da partida. O N403KZ permanecia no pátio de Viracopos até a publicação desta matéria, por volta das 09h00 da manhã, quando ainda não havia informações oficiais sobre qual teria sido a pane apresentada pelo Jumbo nas duas ocasiões seguidas.

Traremos atualizações a esta matéria caso mais detalhes sejam apresentados.

Atualização: conforme registrado pelo canal “Eduardo Cavallini” no YouTube, que disponibiliza em tempo real as comunicações dos controladores de tráfego aéreo com os pilotos dos voos que operam em Viracopos, o Boeing 747 apresentou um problema em seu trem de pouso.

Logo após passar a se comunicar com o controle de saída de São Paulo, o piloto informa sobre o problema e sobre a intenção de fazer órbitas e depois retornar para o aeroporto. O vídeo a seguir apresenta as comunicações deste a decolagem:

Se desejar você pode ver todos os detalhes de uma operação de um Jumbo da Kalitta Air no pátio de Viracopos clicando aqui ou no título a seguir: