Em grave incidente, avião Airbus passou a menos de 100 metros de um planador

Um grande avião comercial de passageiros passou a menos de 100 metros de distância de um planador, em um incidente extremamente grave que poderia ter resultado em um real acidente.

Avião Lufthansa Airbus A321 Decolagem
Airbus A321 – Imagem: Lufthansa

Segundo informações do The Aviation Herald, no dia 10 de julho de 2019 o Airbus A321-200 da Lufthansa, de registro D-AISV, realizava o voo LH-24 de Frankfurt / Main para Hamburgo (ambos na Alemanha) com 170 passageiros e 5 tripulantes, e cruzou com o planador quando estava se aproximando de Hamburgo.

O Airbus já estava liberado para descer a 3000 pés (900 metros de altura) em direção ao localizador para pouso na pista 23, mas quando estava cruzando 3600 pés em descida a tripulação avistou o avião cerca de 100 metros acima e de 50 a 100 metros à esquerda.

O planador estava indo em direção ao Airbus A321 e não houve tempo para nenhuma manobra evasiva. O jato continuou a aproximação para um pouso seguro.

O BFU, órgão de investigação de acidentes da Alemanha, informou em um boletim de julho que os dados de radar do A321 e os dados FLARM (sistema de alerta de risco de colisão) do planador indicaram uma separação reduzida para cerca de 50 metros na horizontal e 200 pés (60 metros) na vertical.

Avião Planador
Planador da Academia da Força Aérea, semelhante ao que quase se chocou com o A321

O planador estava em um voo VFR (visual) acompanhado de outro avião semelhante, e a piloto relatou que ela estava a cerca de 3600 pés em uma direção noroeste quando, de repente, o A321 apareceu abaixo dela na mesma direção.

Ela estimou que o A321 passou a uma distância vertical de cerca de 20 a 30 metros (60 a 100 pés) e horizontal de 60 a 80 metros (200 a 250 pés). O segundo planador estava a cerca de 1,5 milhas náuticas (2,7 km) a noroeste de sua posição naquele ponto.

Este tipo de ocorrência é tecnicamente chamada na aviação como “Near Miss”, definida quando uma possibilidade de colisão ocorre como resultado da proximidade de menos de 500 pés a outra aeronave, ou um relatório é recebido de um piloto ou membro da tripulação de voo declarando que havia um risco de colisão.

O BFU informou que as duas aeronaves estavam operando em um espaço aéreo de classe E.

Nesse tipo de classificação, tráfegos IFR (voando por instrumento como o A321) e VFR (voando visualmente como o planador) operam juntos, mas o controlador de tráfego somente se dedica a separar tráfego IFR de outro tráfego IFR.

As informações para o tráfego VFR são fornecidas sempre que possível pelo controlador, mas cabe ao tráfego VFR se responsabilizar por manter-se afastado dos tráfegos IFR das imediações.

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.