GRU Airport instala sistema de docagem visual.

048

Nota do Editor: De forma pejorativa, o jornal Folha de São Paulo inventou um apelido para os balizadores de aeronaves, chamando-os de “flanelinhas de avião” e dizendo que a profissão estava com os dias contados. Mas não é bem assim. Jornais grandes também erram, alguns como a Folha, erram muito sobre aviação. Então, confira aqui a notícia correta.

O GRU Airport está próximo de concluir a instalação de um sistema de equipamentos de docagem visual, em outras palavras, um sistema automático que mostra ao piloto como posicionar sua aeronave no pátio do aeroporto. Somente para dar uma ideia, aeroportos como Nova York e Londres já usam o sistema.

É um sistema de orientação por sinais de luz e um laser 3D de precisão para identificar e guiar a aeronave para uma posição exata, indicando aos pilotos as manobras necessárias para o correto posicionamento da aeronave no pátio. Suas principais vantagens são a segurança operacional e a precisão. Para o correto alinhamento da aeronave, o sistema direciona o piloto à esquerda e à direita, além de indicar o total de metros que faltam para a parada. Além disso, permite monitorar por uma câmera todo o procedimento de docagem.

 

docavisual2

 

A tela contém, ainda, informações como posição no pátio, companhia aérea, tipo de aeronave, horário de saída/chegada e quanto tempo falta para a chegada/partida.

  • Total de equipamentos em operação: 106, de um total de 114 adquiridos.
  • A instalação do sistema teve início em junho de 2014.
  • O sistema de gerenciamento, com todas as suas facilidades (monitoramento de câmeras, travamento de posições etc etc), estará 100% operacional até o fim do ano.

docavisual1

 

Fiscais de Pátio no GRU Airport

Perguntamos ao GRU Airport sobre as funções dos Fiscais de Pátio.

Hoje, o aeroporto conta com um total de 116 fiscais de pátio, que trabalham em três turnos. A categoria do fiscal de pátio está dividida entre auxiliar e assistente (este último faz todas as funções do auxiliar, além de suas atividades próprias).

Ambos podem executar a atividade de balizador de aeronaves. Além de balizar aeronaves, os fiscais de pátio (auxiliar e assistente) têm diversas atribuições, algumas relatadas abaixo.

 

Auxiliar de Infraestrutura Operações Aéreas

Entre outras atribuições, deve:

– Fiscalizar e acompanhar a movimentação de viaturas, pessoas, equipamentos e material de rampa, em áreas restritas do Aeroporto, visando desembarque de passageiros e bagagens de forma eficaz e segura.

– Fiscalizar os equipamentos e veículos que circulam nos pátios verificando as condições de manutenção e limpeza retirando de circulação aqueles em más condições, solicitando as empresas a sua manutenção.

– Monitorar, em sua área de atuação, o uso obrigatório dos E.P.I.S (equipamentos de segurança, como uniforme, plugs, coletes).

– Efetuar inspeções das pontes de embarque (finger), verificando as condições de limpeza e manutenção, mantendo as sempre prontas para receber as aeronaves.

– Efetuar balizamento de aeronaves através da configuração do sistema automatizado (VGDS) ou efetuando sinais manuais convencionais, conforme previsto em normas.

 

Assistente de Infraestrutura Operações Aéreas I

Além das atividades do Auxiliar de Infraestrutura de Operações Aéreas, deve:

– Efetuar inspeção no sistema de pistas verificando as anormalidades (Pedriscos, lama, terra, Areia, luminárias quebradas ou apagadas, obstáculos na aproximação ou qualquer outro objeto que possa causar F.O.D.) garantindo que as operações ocorram com segurança.

– Relatar acidentes e incidentes no lado ar e iniciar as investigações necessárias para identificar os riscos inerentes e fazer as primeiras intervenções para a eliminação ou mitigação dos riscos identificados.

– Efetuar registros das ocorrências em relatórios específicos informando os dados das ocorrências.

 

Conclui-se que os Fiscais de Pátio possuem muitas atribuições, balizar aeronaves era apenas uma delas.

 

Carlos Ferreira

É profissional de marketing e pesquisador de temas relacionados à aviação há quase duas décadas. Leva a câmera fotográfica para onde vai e faz mais fotos de aviões do que dos passeios. Responsável pela linha editorial da revista eletrônica AEROIN.net.