Grupo faz oferta para comprar Boeing 747 e ‘levá-lo para casa’ para preservar a história

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Imagem: BOBH

Uma campanha lançada há alguns anos por um grupo de civis da Nova Zelândia, chamada “BOBH – Bring Our Birds Home”, ou “Trazer nossos Pássaros para Casa”, fez uma oferta para adquirir nada menos do que um enorme Boeing 747.

O objetivo da campanha é levantar fundos para salvar seis aeronaves que fizeram parte da frota de companhias aéreas da Nova Zelândia, e levá-las todas para um mesmo local no país dos Kiwis para manter preservada a história.

Em suas páginas oficiais na internet, a campanha BOBH não especifica quem são os envolvidos no projeto e se existem grandes empresas ou empresários envolvidos nas doações financeiras, mas as coisas parecem estar sendo levadas muito a sério, já que a oferta para adquirir o Jumbo foi feita nesta última semana e, segundo o próprio grupo, a estimativa é que o custo para adquirir e levar até a Nova Zelândia seja de $ 2 milhões.

Outra demostração da seriedade da campanha é que a única pessoa que tem uma maior exposição, seu criador Paul Brennan, que participa de entrevistas e fala sobre os trabalhos em vídeos pela internet, chegou a vir até Manaus em agosto de 2018 para conversar com o proprietário de uma das aeronaves-alvo da BOBH, um Douglas DC-8:

As aeronaves da BOBH

Segundo as informações oficiais da campanha BOBH, as seis aeronaves que já voaram nas empresas aéreas neo-zelandesas e que se pretende adquirir para preservação são as seguintes.

Boeing 747-400

Como destacado nesta matéria, uma das seis aeronaves é o Boeing 747-400 de número de série 26910, que foi entregue direto da fábrica para a Air New Zealand em 1998 e voou sob a matrícula ZK-NBV até 2015.

Depois, passou à espanhola Wamos Air sob a matrícula EC-MDS, à qual pertenceu até dezembro de 2020, quando foi então devolvida ao lessor e transladada de Madri para estocagem no aeroporto de Roswell, no deserto do Novo México, nos Estados Unidos.

Segundo a publicação desta semana, a BOBH informa: “Fizemos uma oferta aos donos do NBV, eles são ótimas pessoas, então vamos ver o que acontece. Obrigado a Mark Bossard por visitar o NBV em Roswell New Mexico USA apenas alguns dias atrás. Mark nos informa que os motores #1 e 2 estavam saindo para inspeção boroscópica no momento de sua visita.”

We have made an offer to the owners of NBV, they are great people so let’s see what happens. Thanks to Mark Bossard for…

Publicado por Bring our Birds Home em Terça-feira, 23 de março de 2021

Douglas DC-8-52

O Douglas DC-8-52 de número de série 45752-233 foi entregue da linha de produção à Tasman Empire Airways Ltd (TEAL), precursora da Air New Zealand, em 1965 e voou na companhia até 1981.

A aeronave encontra-se parada em Manaus desde 2003 após ter voado por último pela companhia brasileira TCB sob a matrícula PP-TPC. É a única do modelo ainda existente das que foram entregues à TEAL.

Uma oferta já foi feita ao atual proprietário, mas a BOBH precisa aguardar uma liberação da justiça brasileira devido à aeronave fazer parte do inventário do processo de falência da TCB.

Lockheed L-188C Electra

O clássico quadrimotor turboélice Lockheed L-133C Electra de número de fabricação 2010 foi entregue à TEAL em 1959, sendo a segunda das três aeronaves do modelo a entrar na frota, com a matrícula ZK-TEB.

ZK-TEB. Lockheed 188C Electra. Air New Zealand Lockheed Electra ZK-TEB Atarau 2nd December 1967 at Brisbane…

Publicado por Airline Secrets Exposed em Quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Atualmente está no Canadá sob a matrícula C-FIJX e recebeu uma proposta do BOBH após ser retirada de serviço pela Buffalo Airways no meio do ano passado.

Hawker Siddeley 748-2A-242

O Hawker Siddeley 748-2A-242 de número de série 1647 foi entregue à Mount Cook Airlines (MCA) em 1968 sob a matrícula ZK-CWJ. A empresa regional posteriormente se tornou subsidiária da Air New Zealand.

Foi o primeiro avião do modelo entregue à MCA e é o único da frota da empresa ainda existente no mundo. Foi transformado em cargueiro e atualmente pertence à Bismillah Airlines, de Bangladesh, sob a matrícula S2-AEE, estando fora de operação.

Hawker Siddeley – Imagem: BOBH

Boeing 737-200

O famoso “breguinha”, como é chamado no Brasil o Boeing 737-200, também faz parte da campanha. O alvo é o jato de número de série 19930, entregue em 1968 com a matrícula ZK-NAD à New Zealand NAtional Airways Corporation (NAC), empresa que depois foi incorporada à Air New Zealand.

Sua última operação foi pela Olympic Airways sob a matrícula N322XV, e está abandonado desde 1991 nos Estados Unidos.

Boeing 737-200 – Imagem: BOBH

Douglas DC-10-30

Entregue à Air New Zealand em 1976, o trijato Douglas DC-10-30 de número de fabricação 46954 ganhou a matrícula ZK-NZS e fazia serviços internacionais até Londres.

Sua última operadora foi a francesa Air Lib, voando sob a matrícula F-GTLY, e desde 2003 foi abandonado no aeroporto de Havana, em Cuba. Atualmente é usado para treinamentos de segurança e está sob responsabilidade da autoridade de aviação civil cubana.

Douglas DC-10-30 – Imagem: BOBH

Caso queira conhecer mais detalhes sobre a campanha, acesse o site oficial da “Bring Our Birds Home” clicando aqui.

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias