Há 20 anos estreava no Brasil o Boeing 777

Três vezes sete

Na chuvosa manhã de 3 de março de 1996, há exatos 20 anos, tocava pela primeira vez o solo brasileiro, no Aeroporto Internacional Gov. André Franco Montoro, a aeronave que seria protagonista da nova geração de wide-bodies presentes nos céus do Brasil e do mundo, o Boeing 777.

Um ano após entrar em operação comercial, a aeronave de matrícula americana N768UA e callsign UAL777 foi recebida com boas vindas da Torre Guarulhos, ostentando seu distinto trem de pouso principal e toda potência de seus Pratt & Whitney PW4077. O pouso em território nacional ocorria um ano após o 777 debutar em um tour que o levou a diversos destinos nos quais a United, sua primeira operadora, pretendia levar o modelo.

EL AL 4X-ECA
EL AL 4X-ECA

O Boeing triplo-sete, com linha de montagem na maior planta da Boeing, em Everett, mostrava-se muito promissor e já tinha ordens firmes. Ainda durante sua fase de projeto teve a participação ativa de quem seriam seus principais clientes, algo que não era de comum prática na indústria aeronáutica até então.

O projeto visionário foi o primeiro da Boeing a ter controles mediados por computador, o chamado fly-by-wire, o que permitia mais confiabilidade e eficiência. Procurava atender à crescente demanda por um birreator com a mesma performance dos obsoletos trirreatores DC-10 e quadri como os 747, presentes no mercado de longo alcance.




Mas aquele voo inicial apenas marcou o início de uma era que está longe de ter seu fim. Com o projeto do 777X, a Boeing corre para manter a supremacia na categoria, com inovações tecnológicas, aerodinâmica aperfeiçoada e motorização ainda mais eficiente, pretendendo entrar no mercado já na próxima década.

Brasileiras

No início da década de 90, a Transbrasil chegou a demonstrar interesse em obter o 777 como parte de seu planejamento de expansão. Porém com o destino desta selado, a primeira bandeira brasileira a vestir o modelo acabou sendo a pioneira Varig, e em 2001 os primeiros exemplares chegaram comemorando os 75 anos que a companhia completava. Só em 2008, quatro anos após a Boeing relançar a versão de mais capacidade -300ER, passaria a figurar nas cores da TAM a geração que brilha até hoje.

No mundo, sua maior operadora é a Emirates, com sede em Dubai, que o traz para o Rio de Janeiro diariamente.

Fotos históricas exclusivas do acervo AeroIN, parte da coletânea do nosso eterno colaborador e amigo Benito Latorre