Há 30 anos, era entregue o Jumbo Boeing 747 “Air Force One”

Há 30 anos, neste mesmo dia 26 de janeiro, era recebido pela primeira vez o Jumbo Boeing 747 utilizado como “Air Force One”, o mundialmente conhecido avião presidencial dos Estados Unidos da América. Acompanhe a seguir um pouco da história das aeronaves presidenciais dos norte-americanos.

Avião Boeing 747-200 VC-25A Air Force One
Air Force One em visita ao Brasil com o presidente Bill Clinton

Em algum momento de 2024, se tudo correr conforme o planejado, quem quer que seja o presidente dos Estados Unidos receberá dois novos aviões: a versão futura do Air Force One.

Os aviões atuais são os Boeing 747-200 e os próximos também serão Jumbos, embora no novo modelo, o 747-8I, mais longo, mais amplo e capaz de ir mais longe e voar mais rápido que seu antecessor.

Como a Casa Branca, o Air Force One, que a Força Aérea chama de VC-25, é um símbolo que deve transcender qualquer administração presidencial. Ele não representa um presidente individual, mas sim a presidência e o governo dos EUA.

Não era 747 e nem se chamava Air Force One

Os presidentes norte-americanos nem sempre voaram em um Boeing 747, e nem o chamavam pelo famoso nome atual.

O presidente Truman criou um design diferenciado para sua aeronave de dois propósitos, o The Independence, que era um VC-118 (versão do Douglas DC-6) utilizado de 1947 a 1953.

O avião dotado de quatro motores radiais de 18 cilindros foi pintado para parecer uma águia, que tinha até penas na cauda.

Avião VC-118 Douglas DC-6 Air Force One
VC-118 “The Independence” – Imagem: National Museum

O Boeing 707 e a definição do nome atual

Mais tarde, o presidente Eisenhower utilizou um jato de quatro motores, o Boeing 707. Mas foi somente na administração Kennedy que o avião recebeu uma pintura em azul e branco semelhante à utilizada atualmente. Foi também quando o termo “Air Force One” nasceu.

Avião Boeing 707 USAF Transport
A primeira pintura do Boeing 707 – Imagem: Boeing

Avião Boeing 707 Air Force One
Boeing 707 Air Force One nas cores tradicionais – Imagem: Boeing

O nome surgiu porque se buscava um codinome para o controle de tráfego aéreo que nunca seria confundido com outro avião, e o Air Force One parecia ter uma certa majestade. Esse nome de código, é claro, também se tornou o termo público.

Mas o nome só é utilizado quando o presidente está a bordo (inclusive qualquer outra aeronave receberá a designação se o presidente estiver a bordo). Nos demais voos, a designação do jato era SAM 26000. Os jatos 707 de quatro motores serviram para este propósito até 1990.

A chegada do Jumbo, 30 anos atrás

O Air Force One atual remonta ao governo George H.W. Bush. Ele foi o primeiro presidente a voar no mesmo Boeing 747-200 que ainda hoje está em operação, conhecido como VC-25A. Foi recebido pela Força Aérea dos EUA, a USAF, em 26 de janeiro de 1990.

Avião Boeing 747-200 VC-25A Air Force One
Boeing 747-200 (VC-25A) Air Force One – Imagem: SSGT Alex Lloyd, USAF [CC]

O motivo básico para atualizá-lo na década atual é que a frota de aviões existente está ficando velha. Mudar para aviões mais novos fornece os benefícios óbvios que vêm com uma aeronave moderna – motores mais eficientes e melhor confiabilidade – e também é uma chance de instalar novos equipamentos de defesa e comunicação.

Por exemplo, em 11 de setembro de 2001, o presidente George W. Bush teve problemas com o sistema de comunicações a bordo. Ele ficou aborrecido algumas vezes porque seus telefonemas foram cortados ou encerrados.

Seba-se que o Air Force One tem uma “capa” projetada para afastar pulsos eletromagnéticos, protegendo-o se houver uma guerra nuclear. Também tem a capacidade de lidar com uma arma como um míssil de busca de calor lançado no ombro de uma pessoa, o que seria um risco durante as decolagens ou aterrissagens. Existem contramedidas que podem “repelir” um ataque como esse.

Mas os militares não gostam de falar muito sobre isso, então suspeita-se que há muito outros sistemas de proteção na aeronave, e eles são mantidos em segredo.

Avião ‘para todas as contingências possíveis’

Avião Boeing 747-8I VC-25B Air Force One
Concepção gráfica do modelo 747-8 como Air Force One

A Força Aérea chegou a comentar sobre os novos aviões, que serão o modelo Boeing 747-8I, e designados VC-25B:

“Embora as especificações de modificação não sejam totalmente discutidas devido à segurança operacional, as atualizações esperadas incluem atualizações de energia elétrica, um sistema de comunicação de missão, uma instalação médica, interior executivo, um sistema de autodefesa e operações em terra autossuficientes. O VC-25B, que funcionará como uma Casa Branca no ar para permitir que o Comandante-Chefe execute responsabilidades constitucionais enquanto estiver em trânsito, também usará o mais alto nível de capacidade militar de comando e controle para manter a segurança nacional para todas as possíveis contingências ou emergências nacionais.”

E embora a próxima geração do Air Force One declaradamente não será capaz de ser reabastecida no ar, ele certamente poderá manter o presidente voando e seguro por muito tempo durante uma calamidade.

Veja a seguir mais detalhes sobre o novo avião, que até mesmo deverá ter uma nova pintura completamente diferente, segundo escolhas do atual presidente Donald Trump:

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias