Hainan Airlines deverá receber ajuda do governo para não falir

A então gigante HNA Group, dona da Hainan Airlines, está prestes a receber uma ajuda do governo local para não declarar falência e fechar as portas.

Airbus A330 Hainan
Airbus A330 da Hainan

O grupo HNA, formado a partir do sucesso inicial da Hainan Airlines é um dos gigantes da aviação mundial, e controla outras 10 empresas aéreas só na China. Além da parte aérea, o grupo tem uma grande cadeia de hotéis, chegou a ter ações na rede Hilton e até na aérea brasileira Azul. Porém, em face a uma crise, tem vendido desde 2018 suas participações em empresas estrangeiras.

O débito da empresa teria chegado a 108 bilhões de dólares em 2018, diminuído nos últimos tempos, mas voltou a aumentar com a diminuição brusca da demanda na China em decorrência do coronavírus.

Para garantir a continuidade e liquidez da empresa, o HNA recorreu ao governo de Hainan, província onde a empresa nasceu e se estabeleceu.

Agora, o governo local irá administrar a dívida segundo reportou o jornal South China Morning Post. Ainda não foi falado sobre valores e se a empresa irá passar por uma reestruturação, mas existem rumores sobre uma possível estatização parcial ou completa.

A Hainan Airlines, que é a maior e mais rentável empresa do grupo, é também a maior companhia aérea privada da China, com 232 aeronaves em operação atualmente. A subsidiária com maiores problemas é a Hong Kong Airlines, que recebeu os Airbus A350 que iriam para a Azul e tem sido afetada pelos protestos na província independente de Hong Kong e agora pelo vírus.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagens pela Avianca Brasil e Azul Linhas Aéreas. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

Aeroporto Internacional Viracopos VCP SBKP

Aeroporto de Viracopos recebe mais um selo Ouro de sustentabilidade

0
Este é um reconhecimento conferido às empresas que, voluntariamente, aderem ao protocolo e publicam informações completas e auditáveis.