Homem indonésio põe roupa da esposa para conseguir pegar um avião de volta para casa

Imagem ilustrativa – Citilink

A polícia indonésia apresentou queixa contra um homem que, na semana passada, vestiu a burca de sua esposa, uma roupa de mulher muçulmana que cobre o rosto, para passar pelo posto de triagem de Covid-19 de um aeroporto em Jacarta. Mais tarde, foi descoberto que ele estava infectado com o Coronavírus. Segundo aponta o Los Angeles Times, o caso lançou luz sobre às fraquezas na fiscalização para conter a pandemia no país.

O chefe da Polícia de Ternate disse que seu escritório abriu uma investigação contra o homem, apenas identificado como DW. No domingo passado, ele partiu do Aeroporto Internacional Halim Perdanakusuma de Jacarta para Ternate vestido como sua esposa. Com isso, ele contornou os postos de controle no aeroporto disfarçando-se com um lenço na cabeça e véu e mostrando os documentos de resultado negativo do teste de sua esposa.

Ele então conseguiu embarcar em um voo da Citilink Indonésia para o Aeroporto Sultan Babullah. Um comissário de bordo o pegou trocando de roupa no banheiro do avião e depois o denunciou às autoridades do aeroporto na chegada. Por conta disso, DW foi imediatamente detido pela polícia, ainda na pista. Para piorar, ele mais tarde foi testado positivo com novo coronavírus, colocando seus companheiros de viagem em risco de contrair a doença.

Quando o diagnóstico positivo foi verificado, ele foi imediatamente encaminhado para casa, a fim de permanecer em quarentena. Em paralelo, um processo foi aberto e os policiais coletaram evidências de que ele portava os documentos da esposa.

Pelas regras, os viajantes devem carregar documentos que comprovem que tomaram duas doses da vacina. Se não forem vacinados, eles devem apresentar um resultado negativo no teste de Covid-19 feito um dia antes. 

A Citilink Indonesia sugeriu que o processo do aeroporto seja revisto e que se aumente a inspeção dos passageiros para garantir que eles carreguem os documentos de viagem adequados.

“Como uma forma de compromisso em manter a segurança e conforto dos voos, a Citilink irá coordenar mais estreitamente com todas as partes interessadas para garantir a integridade dos documentos de viagem dos passageiros de acordo com os termos e condições aplicáveis”, disse a empresa em nota.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias