IATA cria guia logístico para transporte aéreo de bilhões de doses de vacinas da Covid

Container refrigerado adquirido pela Delta Cargo para transporte de vacinas. Imagem: Divulgação Delta

A Associação Internacional do Transporte Aéreo (IATA) divulgou um guia com orientações para garantir que a indústria de carga aérea esteja pronta para apoiar o manuseio, transporte e distribuição em larga escala de uma vacina da COVID-19. As Orientações da IATA para Logística e Distribuição de Vacinas e Farmacêuticas fornecem recomendações para governos e para a cadeia de suprimentos em preparação para o que será a maior e mais complexa operação de logística global já realizada.

Refletindo a complexidade do desafio, o Guia foi produzido com o apoio de uma ampla gama de parceiros, incluindo a Organização da Aviação Civil Internacional (ICAO), Federação Internacional de Associações de Transitários (FIATA), Federação Internacional de Fabricantes e Associações Farmacêuticas (IFPMA) ), Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Autoridade de Aviação Civil do Reino Unido, Banco Mundial, Organização Mundial das Alfândegas (WCO) e Organização Mundial do Comércio (OMC).

Conteúdo

A orientação inclui um repositório de normas e diretrizes internacionais relacionadas ao transporte de vacinas e será atualizada regularmente à medida que as informações forem disponibilizadas para a indústria. Acompanhando a orientação, a IATA estabeleceu um fórum conjunto de compartilhamento de informações para as partes interessadas.

“Distribuir bilhões de doses de uma vacina que deve ser transportada com eficiência para todo o mundo e armazenada em um estado ultracongelado envolverá desafios logísticos extremamente complexos em toda a cadeia de abastecimento”, disse em informe à imprensa o Diretor Geral e CEO da IATA, Alexandre de Juniac. “Embora o desafio imediato seja a implementação de medidas de teste de COVID-19 para reabrir as fronteiras sem quarentena, devemos estar preparados para quando uma vacina estiver pronta. Este material de orientação é uma parte importante desses preparativos ”, completa.

Os principais desafios abordados nas Orientações da IATA para Vacinas e Logística e Distribuição Farmacêutica incluem:

  • A disponibilidade de instalações de armazenamento com temperatura controlada e contingências para quando tais instalações não estiverem disponíveis
  • Definição de papéis e responsabilidades das partes envolvidas na distribuição de vacinas, particularmente autoridades governamentais e ONGs, para ajudar na distribuição segura, rápida e equitativa da forma mais ampla possível
  • Preparação da indústria para distribuição de vacinas, que engloba:

Capacidade e conectividade

A rede global de rotas foi reduzida drasticamente dos 22.000 pares de cidades anteriores ao COVID. Os governos precisam restabelecer a conectividade aérea para garantir que haja capacidade adequada para a distribuição de vacinas.

Instalações e infraestrutura

O primeiro fabricante de vacinas que solicitou aprovação regulatória, exige que a vacina seja enviada e armazenada em um estado ultracongelado, tornando essenciais as instalações da cadeia de ultrafrio em toda a cadeia de abastecimento.

Alguns tipos de químicos refrigerantes são classificados como mercadorias perigosas e os volumes são regulamentados, o que adiciona uma camada adicional de complexidade. As considerações incluem a disponibilidade de instalações e equipamentos com temperatura controlada e uma equipe treinada para lidar com vacinas sensíveis ao tempo e à temperatura.

Gestão de fronteiras

Aprovações regulatórias oportunas e armazenamento e liberação pelas autoridades alfandegárias e de saúde serão essenciais. As prioridades para os processos de fronteira incluem a introdução de procedimentos acelerados para sobrevoo e autorização de pouso para operações que transportam a vacina COVID-19 e o alívio tarifário potencial para facilitar a movimentação da vacina.

Segurança

As vacinas são produtos altamente valiosos. Devem ser tomadas providências para garantir que as remessas permaneçam protegidas contra violação e roubo. Os processos já estão em vigor, mas o grande volume de remessas de vacinas exigirá um planejamento antecipado para garantir que sejam escalonáveis.

Informações da IATA

Fabio Farias
Jornalista e curioso por natureza. Passou um terço da vida entre aeroportos e aviões. Segue a aviação e é seguido por ela.

Veja outras histórias