Índia suspende pilotos que tocaram Airbus A320neo na terra ao lado da pista

A Diretoria Geral de Aviação Civil (DGCA), reguladora da aviação na Índia, suspendeu as licenças dos pilotos da GoAir que prosseguiram com o pouso do voo de Nagpur para Bengaluru, em 11 de novembro de 2019, mesmo depois de perderem a referência visual quando a aeronave estava apenas 50 pés acima da pista.

Vídeo A320neo GoAir Pouso Terra Grama
Passageiro flagrou o toque fora da pista

A tripulação considerou uma referência visual errada como se fosse a linha central da pista e, consequentemente, desviou a aeronave à esquerda da pista no Aeroporto Internacional Kempegowda, em Bengaluru. A aeronave então tocou fora da pista.

“A tripulação perdeu a referência visual a cerca de 50 pés (15 metros), no entanto, continuou com o pouso, o que viola os requisitos estabelecidos…”, afirma a declaração da DGCA. “A tripulação considerou uma referência visual errada como a linha central da pista e manobrou a aeronave à esquerda da pista 09. O primeiro oficial (co-piloto) não monitorou o desvio da trajetória de voo nos instrumentos da cabine de pilotagem, falhando em comunicar o desvio.”

A declaração acrescentou que um aviso foi enviado ao comandante e ao primeiro oficial, e que os dois pilotos haviam aceitado seu erro por escrito. A DGCA suspendeu então a FATA (autorização temporária de tripulação aérea estrangeira) do primeiro piloto por um período de seis meses e a licença mantida pelo co-piloto por um período de três meses a partir da data do incidente.

O incidente

O incidente ocorreu em novembro de 2019, quando o voo realizado com a aeronave Airbus A320neo de matrícula VT-WGR da companhia indiana GoAir aterrissava na pista no aeroporto de Bengaluru em meio a más condições climáticas.

Avião Airbus A320neo GoAir

A aeronave, que transportava 170 passageiros, começou a desviar-se da pista e entrar na faixa de terra coberta de grama ao lado do asfalto. Durante o processo, um dos motores apresentou uma falha conhecida como estol de compressor, porém a investigação concluiu que ela ocorreu após o desvio da aeronave, não tendo influenciado.

O piloto teve que iniciar uma arremetida com o A320neo e ir para outro local após o incidente.

Após o pouso alternativo em Hyderabad, a avaliação da DGCA encontrou lama no trem de pouso esquerdo, indicando que a aeronave rolou em uma superfície não pavimentada.

A lateral da pista de Bengaluru foi verificada e as marcas do pouso estavam visíveis.

Pouso A320neo Marcas Grama Terra Índia
Marcas dos pneus do A320neo na terra

Toda a sequência do desvio em relação à pista e do pouso na terra foram gravadas por um passageiro, conforme você pode ver na matéria ao final.

Fadiga

Na última terça-feira, a DGCA emitiu cartas de aviso para mais de 150 pilotos da GoAir e também para o chefe de operações da companhia.

A agência emitiu esses avisos após realizar uma auditoria das limitações de tempo de voo e de serviço da GoAir. O objetivo verificar se a empresa estava fazendo seus pilotos voarem por mais do que as 1000 horas permitidas em um ano e se eles foram obrigados a fazer mais de dois voos consecutivos à noite.

A DGCA alegou que a empresa estava violando as normas de segurança, o que levou à fadiga do piloto.

Veja na matéria a seguir o vídeo do passageiro, que mostra o pouso na terra:

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.