Infraero reduz 65% dos custos com novo modelo de concessão dos Terminais de Cargas

Imagem: Divulgação / Infraero

Após oito meses do início do processo de concessão dos Terminais de Logística de Cargas (Tecas) da Infraero para empresas privadas, a empresa reduziu em 65% os custos nos terminais dos aeroportos de Goiânia, Curitiba, Recife, Vitória e São José dos Campos, gerando uma economia de R$ 8,5 milhões.




Entre agosto de 2017, quando foi licitado o primeiro complexo logístico, e março de 2018, o custo da estatal com os terminais concedidos foi reduzido para R$ 4,5 milhões, enquanto que no mesmo período de 2016/2017 os custos de operação foram de R$ 13 milhões.

Para o superintendente de Desenvolvimento de Negócios em Soluções Logísticas da Infraero, Edson Antunes Nogueira, “a concessão comercial dos terminais de carga para empresas privadas continua impactando positivamente em diversas áreas da empresa”. “Os resultados aferidos no primeiro quadrimestre deste ano indicam a continuidade da tendência de crescimento na movimentação de cargas iniciada no segundo semestre do ano passado, gerando as melhores expectativas para 2018”, acrescenta.

Imagem: Divulgação / Infraero

Com o novo modelo adotado pela Infraero, foram extintos os contratos de serviços terceirizados e as compras de insumos operacionais dos terminais de carga na área administrativa. Também foi diminuído o número de processos que tramitavam na área jurídica de processos da área de carga da empresa. E ainda foram desoneradas as atividades de fomento para ocupação de áreas comerciais nos complexos logísticos, dentre outras.

A Rede Teca Infraero

A Infraero conta com 19 Terminais de Logística que operam cargas, sendo que cinco deles já estão sob gestão de empresas privadas: Curitiba, Goiânia, Recife, São José dos Campos e Vitória. Dos 14 Tecas restantes, 11 já foram licitados e estão em fase de homologação e entrega documental – São Luís, Belém, Boa Vista, João Pessoa, Joinville, Londrina, Macapá, Manaus, Navegantes, Petrolina e Teresina -; e os outros três – Campo Grande, Cuiabá e Foz do Iguaçu – serão licitados ainda neste ano.

Existem ainda processos de concessão para implantação ou ampliação das operações de carga nos aeroportos da Rede Infraero. O Aeroporto de Palmas, no Tocantins, já teve a área licitada neste mês. Já os terminais de Uruguaiana, Uberlândia e Campos de Marte terão sua publicação nos próximos dias. Além disso, existem diversos aeroportos com áreas em estudo avançado para composição das licitações.

Imagem: Divulgação / Infraero

 
Informações pela Assessoria de Imprensa da Infraero.
 

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.