Interesse repentino da Qantas na Embraer mostra força dos jatos regionais na pandemia

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Foto Aero Icarus from Zürich, Switzerland, CC BY-SA 2.0, via Wikimedia

Um novo acordo entre as empresas australianas Alliance Airlines e o Grupo Qantas ajudará este último a atender a um aumento na demanda de turismo local, esperado num momento de arrefecimento das restrições de mobilidade. Pelo contrato, a Alliance fornecerá capacidade flexível à rede regional da QantasLink usando suas aeronaves Embraer E190, recentemente adquiridas.

Espera-se que as rotas iniciais em que a Alliance voará seus jatos de 94 lugares para a Qantas incluirão Adelaide, Alice Springs e Darwin. Os passageiros podem esperar um aumento na frequência de voos, enquanto que os Boeing 737, que são usados ​​atualmente nessas rotas, serão realocados a outras partes da Austrália em um plano contínuo chamado de “aeronave certa, rota certa”.

O contrato tem duração de três anos e inclui três E190, que serão baseados em Darwin e Adelaide. O projeto atualmente está previsto para começar em junho de 2021, uma vez que a grande maioria dos voos domésticos da Qantas tenha retornado aos níveis pré-COVID. O acordo também oferece flexibilidade para que a Qantas acesse até 11 jatos regionais E190 adicionais (totalizando 14), mas também pode desligar parte (ou toda) dessa capacidade, dependendo das condições de mercado.

O CEO da QantasLink, John Gissing, disse que o negócio reflete o tipo de flexibilidade necessária para responder às oportunidades sem comprometer capital. “Sabemos que esse clima atual de fechamento de fronteira vai passar e queremos estar prontos para a recuperação e para o que é um mercado estruturalmente diferente do que tínhamos antes do COVID”, disse Gissing.

“O E190 é um jato regional de médio porte perfeito para rotas como essas. Tem um alcance maior do que o nosso 717 e tem cerca de metade do tamanho do nosso 737, o que significa que a economia funciona bem em voos mais longos entre cidades e vilas fora dos cinco principais centros populacionais”.

“Em vez de um ou dois voos por dia com uma aeronave maior, podemos oferecer três ou quatro voos por dia no E190, o que dá aos clientes nessas cidades muito mais escolha sobre quando viajam”, concluiu.

O E190 oferece 10 assentos na Classe Executiva e 84 na Econômica, com autonomia de cerca de 4.500 quilômetros. A Qantas possui pouco menos de 20 por cento de participação no capital da Alliance Airlines.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias