O inusitado encontro de um enorme Boeing 747 no meio de uma rodovia

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Talvez um enorme avião Jumbo Boeing 747 seja algo que você jamais esperaria encontrar bloqueando uma rodovia. Mas, curiosamente, foi exatamente o que um motorista encontrou.

Boeing 747 Jumbo motorista na rodovia

O inusitado fato aconteceu no deserto de Marana, no estado do Arizona, Estados Unidos. Apesar de curioso, obviamente não se trata de algo que possamos ter a sorte de encontrar em qualquer rodovia de qualquer lugar.

A enorme fuselagem do avião modelo Boeing 747, o famoso Jumbo Jet, estava sobre a rodovia nas proximidades do Marana Pinal Airpark, um famoso destino de estocagem dos jatos que estão temporariamente fora de serviço, ou que encerraram sua vida de serviços aéreos e serão transformados em sucata.

Vista aérea do Pinal Airpark – Imagem: Google Maps

Regiões desérticas oferecem um ótimo ambiente para essa finalidade de estocar aviões, pois a reduzida umidade do ar diminui a velocidade de evolução de processos de corrosão.

Por uma das fotos, nota-se que a matrícula de registro utilizada por este Jumbo antes de ser retirado de serviço era a N3439F. Fizemos uma pesquisa para saber mais sobre a história deste avião flagrado no Arizona.

A história do Jumbo

Segundo o histórico de vida operacional do N3439F, trata-se de um Boeing 747 da versão -300M, ou seja, um modelo da versão Combi (designada pelo “M”) caracterizada por possuir uma área de cargas na seção traseira da cabine de passageiros, ao invés de assentos em toda a extensão.

Ele foi produzido em 1986, com número de série 23439 e número de produção 646, e foi entregue com a matrícula OO-SGC à companhia aérea belga Sabena (Sociedade Anônima Belga de Exploração da Navegação Aérea), uma empresa que nasceu em 1923 e encerrou suas operações em 2001.

Avião Boeing 747-300M Sabena
O OO-SGC nas cores da Sabena – Imagem: Maarten Visser [CC]

Após a falência da companhia da Bélgica, o N3439F já não teve mais longevidade em sua trajetória aérea. Cerca de um ano depois, em 2002, o 747-300M voou para o deserto de Tucson para nunca mais decolar nestes quase 18 anos, até ser protagonista desse inusitado encontro atual na rodovia de Marana.

O destino dele? Felizmente deve ser mais nobre do que virar ferro-velho! Confira na clicando aqui.

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias