Iran Air quer chegar no Canadá com o Boeing 777, se Trump permitir

Com 15 encomendas do Boeing 777-300ER a Iran Air espera chegar ao Canadá ainda este ano, isso se o governo dos EUA não fizerem algum tipo de intervenção.




A companhia que tem mudado a sua cara após o fim das sanções do ocidente frente ao Irã, foram recebidos diversas aeronaves do grupo Airbus, inclusive A330 que iriam para a Avianca Brasil conforme reportamos com exclusividade.

A Iran Air quase recebeu os seus 777 em Abril do ano passado, as aeronaves iriam para Turkish Airlines que na época decidiu postergar as entregas e de última hora desistiu da idéia, mantendo a entrega das aeronaves, numa manobra apontada por alguns como política por Erdogan, presidente da Turquia.

Durante uma entrevista em Paris o CEO da Iran Air, Farzaneh Sharafbafi, revelou que quatro destinos serão voados pelos novos 777: Adelaide e Sydney na Austrália, Kuala Lumpur e Bangkok respectivamente na Malásia e Tailândia.

Além destes destinos, o CEO revelou ao portal AirlineGeeks que a companhia está trabalhando para adicionar voos inéditos para Tóquio, Pequim e Toronto. Estes destinos entretanto dependem da Boeing seguir o cronograma de entregas, que ainda é incerto devido a política externa dos EUA que tem sido contra o Irã após a entrada de Trump.

Ao mesmo tempo o presidente americano tem estado próximo da Boeing, participando de entregas, inauguração da fábrica e negociando pessoalmente o próprio Air Force One. Na última viagem durante a China anunciou a venda de mais aeronaves, neste perfil de vendedor e com a pressão da Boeing é improvável que a venda seja barrada por agora.

Mas vale lembrar que apesar de uma não mudança nas retirada das sanções, o Irã ter licença para exportar protudos com peças americanas (incluem neste lista os Airbus e ATRs) apenas até 2020. Quando expirada esta licença, apenas o governo dos EUA pode renova-lá.

Um dos 777 mais confortáveis do mundo

Ao contrário dos A330 que mantiveram a configuração da Avianca Brasil, os 777 da Iran Air contarão com um novo design da classe econômica e da executiva, a Homa Class. Apesar de não terem muitos detalhes, a configuração já foi definida: serão 35 assentos na Homa Class e 353 na ecônomica, totalizando 387 assentos.

A configuração será uma das menos densas em um 777-300ER de duas classes. Para titúlo de comparação, a configuração na aclamada Emirates é de 42 assentos na executiva mais 385 na econômica, totalizando 427 assentos. Outras do meio árabe também colocam mais assentos em seus Triple Seven de duas classes: os aviões da Etihad e Qatar chegam a ter 412 assentos.

Mas ainda falta o pagamento

Apesar de muito ter se falado sobre as encomendas de aviões Boeings da Iran Air, a fabricante americana ainda não fez o anúncio oficial, e isso tem um motivo: falta do pagamento do “sinal”.

Farzaneh revelou que realmente o pagamento inicial não foi feito, mas afirmou que a Iran Air não terá problemas em financiamento de aeronaves da Airbus e da Boeing. Assim que o pagamento foi feito a Boeing irá anunciar publicamente a encomenda, revelendo detalhes da entrega e configuração.

Até 2020, a Iran Air planeja ter recebido ao menos 28% das suas encomendas de 180 aeronaves da Airbus e da Boeing. Espera-se que sejam entregues 37 novos aviões da Airbus, 15 da Boeing e 12 mais da ATR.

Com informações do AirlineGeeks

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é Piloto Comercial, Despachante, Bacharel em Ciências Aeronáuticas, membro da AOPA e veterano da Western Michigan University #GoBroncos