Israelense El Al estabelece a data do ultimo voo do seu avião “jumbo” Boeing 747

4X-ELC EL AL Israel Airlines Boeing 747-458

A El Al Israel Airlines está se preparando para aposentar o último de seus Boeing 747-400. Na atualização da tabela de voos da companhia aérea, a transportadora de bandeira de Israel detalhou planos para se aposentar o último dos seus 747 no início de novembro.

Conforme relatado pela RoutesOnline, o derradeiro voo do jumbo da El Al está programado para operar entre Roma (FCO) e Tel Aviv (TLV). A etapa de ida acontecerá em 1 de novembro, e o retorno à capital do Estado de Israel será em 3 de novembro, quando se aposentará.

Os voos estão programados como fretados, então não se sabe se haverá alguma celebração especial. Nenhum dos voos finais da aeronave está disponível para reserva no site da El Al e o cronograma é o seguinte:

  • Voo LY1744 – Tel Aviv (TLV) 8:05 ⇒ Roma 10:30 – 1 de novembro
  • Voo LY1747 – Roma 10:00 ⇒ Tel Aviv 15:45 – 3 de novembro

Contagem regressiva: só faltam dois 747

Atualmente, a El Al possui apenas dois 747 operando em sua frota, registrados como 4X-ELA e 4X-ELC, com 25,5 e 24,4 anos. Mas não foi sempre assim.

Ao longo de sua história a empresa operou um total de 26 aeronaves do modelo e foi, inclusive, uma das primeiras empresas aéreas do mundo a encomendá-lo à Boeing, desde as primeiras versões.

EL AL | Boeing 747-200 | 4X-AXC | London Heathrow

Modernização da frota

A aposentadoria da frota de 747 da El Al faz parte de um plano de modernização que foi concebido antes do início do início da chegada dos Boeing 787 em 2017. Em um comunicado à imprensa anunciando a compra dos Dreamliners, o presidente e CEO da El Al, David Maimon, disse:

“Tenho orgulho de anunciar que, após um ano e meio das principais preparações de todos nós da EL AL, em antecipação à chegada do novo Dreamliner, a EL AL está embarcando em uma nova era. A chegada prevista da nova aeronave 787 será o pico do momento de renovação da EL AL, criando uma revolução na experiência do cliente em todas as interfaces de voo.”

Quando você olha para a idade dos Jumbos da El Al e o dinheiro necessário para mantê-los no ar, não é surpresa que a empresa aérea e outras companhias que operam o 747 os substituam por jatos bimotores. De acordo com o ex-vice-presidente da Boeing, Raymond Conner, agora aposentado, ao voar entre Tel Aviv e Nova York, o Dreamliner utilizará 47% menos combustível que o 747. “O progresso não espera por ninguém”, disse ele na ocasião.

Carlos Ferreira

É profissional de marketing e pesquisador de temas relacionados à aviação há quase duas décadas. Leva a câmera fotográfica para onde vai e faz mais fotos de aviões do que dos passeios. Responsável pela linha editorial da revista eletrônica AEROIN.net.