Itapemirim diz que Gol organiza complô para prejudicá-la

No final da última semana, a Itapemirim obteve uma decisão favorável da justiça, que julgou desnecessária a colocação de mais fiscalização sobre seu processo de recuperação judicial. Outro pedido da administradora judicial e dos credores refere-se ao afastamento da diretoria, o que também foi rechaçado pelo judiciário.

O jornalista Adamo Bazani teve acesso aos documentos do processo e cita numa matéria uma insinuação da Itapemirim, formalizada expressamente na defesa do recurso, sobre um possível complô organizado pela GOL para prejudicá-la. A motivação seria a entrada da ITA no mercado de aviação e o meio para atrapalhá-la seria a empresa de ônibus Nossa Senhora da Penha, que pertence à família Constantino e que é credora no processo de recuperação judicial da Itapemirim.

O trecho do recurso diz o seguinte:

“Por sua vez, em relação aos credores Empresa de Ônibus Nossa Senhora da Penha S/A, Comporte Participações S/A, Max Empreendimentos e Participações S/A e Paulo Sérgio Bongiovanni, além da liquidez do crédito também ser objeto de discussão, esclarecem que todas as empresas e pessoa física estão diretamente ligadas ao proprietário da Gol Linhas Aéreas (Família Constantino), fato que justifica o peculiar e real interesse do pleito de destituição do Presidente Executivo, tendo em vista o recente ingresso da Viação Itapemirim S.A. no mercado de transporte aéreo, em concorrência direta com a Gol”.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias