Já são 633 horas de voo e 248 pessoas retiradas de Manaus por aviões da FAB

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

As missões nas aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB) para salvar vidas no estado do Amazonas alcançaram 633 horas de voo. Desde o início da operação até domingo (24/01), a FAB transportou tanques de oxigênio líquido, cilindros de oxigênio e equipamentos, totalizando 760 toneladas.

Na noite de domingo (24), um KC-390 Millennium da FAB decolou às 20h02 de Brasília (DF) transportando nove tanques de oxigênio líquido para Manaus (AM). Um C-130 Hércules saiu às 18h15 do mesmo dia, da capital federal, transportando mais oito tanques de oxigênio líquido. Ainda neste domingo (24/01), outro C-130 Hércules decolou às 1h40 de Brasília transportando oito tanques de oxigênio líquido para a capital amazonense, onde pousou às 4h50.

O Sargento Keizzi de Castro de Lucena Fernandes, mecânico de voo do C-105 do Primeiro Esquadrão do Décimo Quinto Grupo de Aviação (1°/15°GAV) – Esquadrão Onça, participa da Operação COVID-19 transportando oxigênio para Manaus e cidades da região, removendo enfermos e dando esperança aos cidadãos brasileiros. “Todos os dias nós decolamos independente da hora ou do destino. Aqui o nosso objetivo principal é salvar vidas”, contou. No sábado (23), entre outras missões, o Esquadrão Onça transportou 54 cilindros de oxigênio.

Por meio do Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), a FAB cumpre as missões que têm como objetivo minimizar os impactos no sistema de saúde da capital amazonense. O Transporte Aéreo Logístico da FAB integra as ações da Operação COVID-19, acionada pelo Ministério da Defesa, em atendimento às demandas do Ministério da Saúde.

248 resgatados

Desde o dia 15 de janeiro, quando ocorreu o primeiro voo saindo de Manaus (AM) removendo pessoas com COVID-19, 248 pacientes já foram transportados nas aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB) para receberem tratamento médico em 11 destinos: Teresina (PI), São Luís (MA), João Pessoa (PB), Natal (RN), Goiânia (GO), Brasília (DF), Belém (PA), Vitória (ES), Maceió (AL), Recife (PE) e Uberaba (MG). Com o objetivo de minimizar os impactos no sistema de saúde da capital amazonense, nesse período, foram realizados 17 voos com o transporte de pacientes.

Acionadas pelo Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), participam das missões duas aeronaves C-99 do Primeiro Esquadrão do Segundo

Grupo de Transporte (1º/2º GT) – Esquadrão Condor, sediado na Ala 11, no Rio de Janeiro (RJ). Nesse domingo (24), um desses aviões decolou de Manaus (AM) às 23h15 (horário de Brasília) mais uma vez para a capital piauiense, realizando a remoção de 14 pacientes. Durante a tarde, outra tripulação do Esquadrão Condor partiu às 15h20, transportando 17 pacientes e seis profissionais da equipe médica para a cidade de Uberaba (MG). 

No sábado (23), um C-99 realizou a remoção de mais dez pacientes com COVID-19 em estado moderado, de Manaus (AM) para o Recife (PE). Acompanhados de quatro integrantes da equipe médica, os passageiros deixaram a capital amazonense às 15h45 (horário de Brasília) a bordo da aeronave da FAB. Após pouso técnico na Base Aérea de Belém (BABE), a tripulação chegou à Base Aérea de Recife (BARF) às 21h25, totalizando aproximadamente seis horas de voo.

Já na sexta-feira (22), um C-99 decolou às 14h30 (horário de Brasília) da capital amazonense e pousou em Belém (PA) às 17h25, transportando 17 pacientes e seis profissionais de equipe médica. Na quinta-feira (21), foram mais dois voos da FAB para a cidade de Vitória (ES), levando a esperança para mais 36 pacientes, que viajaram para receber tratamento na capital capixaba, às 15h15 e às 15h35, respectivamente. Na quarta-feira (20), às 21h15, outras 14 pessoas com COVID-19 decolaram para Maceió (AL) nas asas da Força Aérea Brasileira. 

Informações da FAB
Por Tenente Flávia Rocha

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias