Janela aberta faz avião abortar decolagem, pneus derretem e pista é fechada

O Aeroporto de Shannon, na Irlanda, permaneceu fechado por várias horas na última sexta-feira (16), depois que um controlador de tráfego aéreo notou fumaça e fogo vindo do trem de pouso do Boeing 767-300 da Omni Air International, pouco antes da segunda tentativa de decolagem.

A aeronave havia chegado anteriormente no voo OY531 de Oklahoma City, para Shannon, havia reabastecido e se preparava para seguir viagem rumo ao Kuwait, transportando militares americanos. Na primeira tentativa de decolagem, pela pista 24 às 5h45 locais, os pilotos observaram uma janela aberta no cockpit, fazendo-os abortar o procedimento. A aeronave então desocupou a pista pela taxiway A e pediu para voltar ao pátio a fim de que os freios esfriassem, antes de partir para uma nova tentativa. 

A torre perguntou se a tripulação ficaria satisfeita em se manter em uma pista de taxiamento. Ao receber uma resposta afirmativa, instruiu os pilotos a esperar na taxiway C, próximo da pista. Após cerca de 10 minutos, a tripulação solicitou retornar ao terminal devido a uma indicação de problema com os freios no trem esquerdo; a torre então os orientou a ingressar na pista, e livrá-la novamente à frente.

Mas não deu tempo de concluir o procedimento. Nesse momento o controlador nota fumaça saindo dos pneus e informa ao comandante, que decide evacuar a aeronave ali mesmo. Todos os 145 passageiros e tripulantes evacuam a aeronave pelas saídas de emergência e são levados em segurança de volta ao terminal do aeroporto. Os serviços de emergência respondem e extinguem o fogo rapidamente, mas a aeronave acaba por ficar na pista, com o trem danificado e os pneus derretidos pelo alto calor.

Não houve feridos e depois que o incêndio foi controlado a aeronave foi removida da pista e o aeroporto de Shannon foi reaberto pouco depois das 11 da manhã do mesmo dia. 

A Omni Air International é uma companhia aérea norte-americana que opera voos charter para uma variedade de clientes, incluindo operadoras de turismo, companhias aéreas e agências governamentais com uma frota composta por Boeing 767 e 777. Ela já realizou vários voos partindo do aeroporto de Shannon, em serviços militares para os Estados Unidos, um uso controverso do aeroporto, que tem sido objeto de debates no parlamento irlandês.

Informações do AvHerald e The Mirror

Luis Neves

É agente de turismo e acompanha a evolução da aviação brasileira desde o final da década de 80. Fotografa tudo o que voa e tem uma das maiores coleções de fotos de aviação do Brasil.