Japan Airlines terá aviões abastecidos com combustível feito de lixo doméstico

A Japan Airlines (JAL) anunciou que vai passar a adotar biocombustíveis feitos de lixo doméstico reaproveitado a partir do ano de 2022. A medida faz parte dos esforços da companhia aérea para reduzir as emissões de gases atmosféricos causadores do efeito estufa e contribuir para a meta da IATA de cortar pela metade as emissões globais até 2050.

A companhia planeja utilizar combustível reciclado de aviação produzido pela empresa norte-americana Fulcrum BioEnergy Inc. De acordo com o jornal Japan Today, a JAL já investiu cerca de 900 milhões de ienes (cerca de R$ 47 milhões) na start-up há dois anos, quando iniciou o projeto. Pela proposta em estudo, a JAL irá reabastecer as aeronaves na cidade de São Francisco, na Califórnia-EUA, nos voos entre Estados Unidos e Japão.

O biocombustível não é novidade para a JAL. A companhia já testou o produto em algumas ocasiões no passado e agora pretende adotá-lo definitivamente a partir de abril de 2022, porém ainda de maneira gradativa. O objetivo da empresa é atingir emissões líquidas de dióxido de carbono zero até 2050, por meio de aviões e combustíveis avançados, ao mesmo tempo que compra créditos de emissão de outras companhias aéreas.

A International Air Transport Association (IATA) tem um plano de ação para reduzir pela metade as emissões de CO2 da indústria da aviação em todo o mundo até 2050. A JAL é a segunda companhia do Japão a anunciar a adoção de combustíveis ecologicamente sustentáveis. Recentemente, a ANA Holdings, controladora da All Nippon Airways, também informou que planeja começar a usar biocombustíveis feitos de resíduos de alimentos em 2023.

Fabio Farias
Jornalista e curioso por natureza. Passou um terço da vida entre aeroportos e aviões. Segue a aviação e é seguido por ela.

Veja outras histórias