Jato Embraer de cores exóticas tem sobrevoo negado e precisa voltar para Belarus

Um belíssimo jato Embraer, de cores exóticas, teve o sobrevoo negado, deu várias voltas e precisou voltar para Belarus na tarde de hoje (26).

Foto: TJDarmstadt

O caso aconteceu no início da tarde de hoje (horário central europeu) num voo da Belavia Airlines, empresa de bandeira da Bielorrússia (ou Belarus). Este retorno não previsto foi mais um desdobramento da crise aeronáutica em torno do país que forçou o desvio de um voo da Ryanair, após os pilotos serem avisados de uma ameaça de bomba a bordo.

No entanto, como se soube, não havia nenhum artefato na aeronave e, ao pousar em Minsk, capital da Belarus, dois passageiros, que “coincidentemente” são opositores do ditador Aleksandr Lukashenko, foram desembarcados e detidos. Desde então, vários países condenaram a atitude, sendo que até o momento Reino Unido, França, Finlândia, República Checa, Letônia, Lituânia e Suécia proibiram todos os voos que tenham como destino ou partida a Bielorrússia.

A França, por exemplo, decidiu endurecer as sanções e proibiu até os sobrevoos. Segundo a própria Belavia Airlines, o voo B2-869, de Minsk para Barcelona, operado pelo Embraer E195-E1 de matrícula EW-400PO, que tem uma bela e exótica pintura promocional ao jogo World of Tanks, acabou sendo proibido de entrar no espaço aéreo polonês.

A Polônia seria o primeiro país da União Europeia, bloco ao qual a França faz parte, que o jato da Embraer iria sobrevoar no seu caminho até a capital da Catalunha.

“Três minutos antes da decolagem as autoridades francesas desativaram manualmente o plano de voo sem nos notificar. A informação foi passada pelo comandante do Controle de Tráfego Aéreo da Polônia enquanto o avião subia para o nível de cruzeiro”, afirmou a Belavia Airlines em nota oficial.

Trajetória prevista do voo em preto © Eurocontrol

Todos os países membros da União Europeia fazem parte do Eurocontrol, que é uma autoridade conjunta para administração do espaço aéreo europeu, similar ao brasileiro CINDACTA. Outros países como Suíça e Reino Unido também fazem parte deste grupo.

Segundo planos de voos anteriores, o voo da Belavia iria cruzar ao menos seis Regiões de Informação de Voo (FIRs) do Eurocontrol antes de pousar em Barcelona: FIR Varsóvia, FIR Praga, FIR Viena, FIR Milão, FIR Marselha e FIR Barcelona.

Segundo a Belavia, foram feitas tentativas de contato com a FIR de Marselha, área francesa que o jato sobrevoaria, mas a empresa aérea não obteve sucesso. Mais tarde os franceses acabaram entrando em contato com a Belavia, e falaram que a negativa do sobrevoo foi uma ordem do Primeiro-Ministro da França, Jean Castex.

Enquanto tentava resolver o impasse, o jato Embraer ficou sobrevoando a fronteira da Polônia por quase duas horas, dando sete voltas em círculos, como vemos no registro de radar abaixo feito pelos parceiros do site RadarBox:

O voo acabou voltando com os seus 54 passageiros para Minsk, onde foi cancelado. Como falamos ontem, e que se confirmou hoje, com o banimento de voos por todos os vizinhos com exceção da Rússia, a Belavia fica impedida de voar para o oeste, deixando a Bielorrússia semi-isolada.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias