Jornais divulgam fake news sobre acidente de avião em BH, veja vídeo da queda

Em busca do sensacionalismo e apelo de público, dois jornais de BH divulgaram deliberadamente informações falsas (Fake News) acerca do acidente com um Cirrus na manhã de hoje.

Cirrus Avião Queda Belo Horizonte Fake News

O acidente ocorreu na manhã de hoje (21) com o Cirrus SR20 que decolou do Aeroporto do Carlos Prates (SBPR) com destino a Ilhéus na Bahia. Três pessoas faleceram na tragédia, que também feriu gravemente outras três, dentre ocupantes do avião e transeuntes. O piloto sobreviveu mas encontra-se em estado grave no Hospital João XXIII, com 80% do corpo queimado.

A aeronave de matrícula PR-ETJ pertence a uma companhia de táxi-aéreo e rumores apontam que seria vendida para uma escola de aviação em Belo Horizonte. Vale lembrar que, apesar das fotos que circulam nas mídias sociais e da matrícula, o avião não pertence mais à escola EJ do interior de São Paulo.

O Cirrus decolou e logo depois passou por algum problema. No vídeo de uma câmera no Aeroclube de Minas Gerais operada pelo site ClimaAoVivo é possível ver que o piloto teria tentado um retorno ao aeroporto, sem sucesso. O piloto teria tentado acionar o paraquedas, mas já era tarde. A aeronave caiu no Bairro Caiçara na região Noroeste de Belo Horizonte.

Porém, sem se quer ler a própria página da ANAC ou fazer uma pesquisa básica sobre a aeronave, jornais mineiros divulgaram notícias falsas sobre o acidente.

O primeiro foi o Jornal O Tempo, que informou que a aeronave estava com mais passageiros que o permitido, já acusando o piloto de fazer uma violação.

O Tempo Fake News

Infelizmente o jornal não se deu ao trabalho de ler a própria informação disponível no site da ANAC. Lá informa bem claro: número máximo de PASSAGEIROS é três.

RAB anac
Consulta na ANAC deixa claro a informação de passageiros

Número de passageiros não inclui tripulação, que no caso do Cirrus a requerida é de apenas um piloto. Logo a aeronave que estava com quatro ocupantes estava com o número de pessoas dentro do permitido. Além disso o avião pode ser equipado com um assento chamado Flex Seating, elevando para cinco o número total de ocupantes.

O Jornal Hoje Em Dia continuou nesta esteira de fake news, e além de afirmar que estava superlotado, falou que o piloto pulou de paraquedas.

Fake News Hoje Em Dia

Ao entrar na página do Cirrus SR20, uma das coisas destacadas é o seu sistema de paraquedas, que tornou o avião tão famoso.

Mas a desinformação não ficou limitada aos jornais de Beagá, que acabaram deletando as matérias fake news. A TV Record, ao avistar o paraquedas no chão, afirmou que o avião poderia ter colidido com um balão.

O chamado “Risco Baloeiro” é realmente algo grave na aviação nacional. Só que em Minas Gerais a tradição criminosa de soltar balões é inexistente, sendo que nos últimos anos não foram capturados balões na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Mas vale destacar também quem contribui para a aviação. Desta vez foi o caso da Globo Minas. A filial mineira da Rede Globo chamou, em seu jornal do meio-dia, o especialista Sérgio Mourão.

Mourão é especialista em segurança de voo com formação no ITA e em direito pela PUC Minas. Além disso faz parte da Comissão de Direito Aeronáutico da OAB-MG e é comandante de aeronave King Air, tendo operado inúmeras vezes no Carlos Prates. Inclusive é leitor do nosso site.

De maneira exemplar, explicou no jornal as circunstâncias que podem ter levado ao acidente. Você pode conferir aqui o que ele falou. Exemplos assim devem ser replicados.

Aeronave voada pelas melhores do mundo

Emirates é uma das maiores utilizadoras do Cirrus

O Cirrus SR20 e seu irmão mais potente SR22, é a aeronave de escolha de diversas empresas no mundo, não apenas particulares. Dentre elas estão as gigantes companhias áereas Emirates e Lufthansa; a maior força aérea do mundo, a USAF; além das melhores universidades de aviação do mundo.

O seu belo design aliado à simplicidade de voo atraiu não apenas quem deseja ter seu primeiro avião, mas quem quer treinar excelentes profissionais.

Cirrus utilizando o para-quedas CAPS

Dentre os destaques está o paraquedas, chamado de CAPS, marca registrada da fabricante americana Cirrus. O dispositivo pode ser acionado em caso de emergência, mas exige que a aeronave esteja acima da sua VPD – Velocity of Parachute Deployment, velocidade de acionamento do paraquedas.

Esta velocidade é de 135 nós (250km/h) no Cirrus SR20 segundo o manual da fabricante. Outro ponto é que ele deve ser acionado entre 500 e 2000 pés de altura (152m ~ 609m). Acima disso é recomendado seguir o procedimento de pouso de emergência e abaixo disso o paraquedas não consegue abrir a tempo.

Até 2014 a Cirrus contabilizou 85 vidas salvas com a utilização do CAPS.

Matérias com desinformações e fake news contribuem para um medo exagerado da aviação civil, gerando movimentos como o de fechamento do Aeroporto do Carlos Prates, que gera emprego e receita para a capital mineira.

Vale lembrar que movimentos similares já conseguiram fechar aeroclubes no Nordeste do país, e mais recentemente contribuíram para que o governador Dória do estado de São Paulo anunciasse o fechamento do Aeroporto Campo de Marte, convenientemente limitando apenas para helicoptéros, como você pode ver a seguir:

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é Piloto Comercial, Despachante, Bacharel em Ciências Aeronáuticas, membro da AOPA e veterano da Western Michigan University #GoBroncos