Jumbo faz bonito ‘tchauzinho’ ao decolar para voltar a voar na Lufthansa

A bonita partida do Jumbo, em cena do vídeo contido abaixo nesta matéria

Mais um avião Boeing 747-400 que, a princípio, deixaria de operar na frota da companhia aérea alemã Lufthansa está voltando à ativa. Apesar de muito positiva para a aviação, a notícia, no entanto, representa um revés para o pequeno aeroporto de Twente, na Holanda.

Como acompanhamos desde o ano passado, a Lufthansa havia enviado seis de seus Jumbos da variante -400 para o local holandês após definir que a crise aérea seria duradoura e os aviões de quatro motores não mais seriam economicamente viáveis em função da baixa demanda. E exceção ficou com os modernos 747-8I, muito mais econômicos por serem da mais recente geração, enquanto todos os 747-400, A340 e A380 foram estocados.

Os seis exemplares enviados a Twente, entretanto, foram envolvidos em uma polêmica local: o objetivo era que eles fossem posteriormente retirados de lá para serem repassados a possíveis novos operadores, mas o aeroporto era tradicionalmente usado para receber grandes aviões apenas para desmontagem, e não para estocagem.

Diante de uma pista não adequada para decolagens de grandes aviões, as autoridades holandesas responsáveis pelas autorizações de operação do aeroporto negaram a partida dos seis Jumbos da Lufthansa quando três deles foram escolhidos para serem enviados aos Estados Unidos.

Com isso, uma disputa judicial foi aberta e o resultado foi uma autorização especial concedida para a partida dos aviões, mas que duraria apenas alguns meses. Mas o aeroporto de Twente alertou que a estocagem dos outros três Boeings 747 restantes, previstas até junho de 2022, representaria um bom lucro financeiro, e a retirada precoce dos jatos antes do prazo traria não apenas a perda da receita, mas o prejuízo pela indenização relacionada à suspensão do contrato de estocagem antes de seu vencimento.

Por fim, mais uma vez foi possível obter um acordo entre as partes, e o direito da permanência dos Jumbos para decolagem ao fim do contrato foi concedido. Entretanto, a boa nova à administração do aeroporto de Twente durou pouco.

Com a retomada da aviação acontecendo de forma mais rápida do que o previsto em alguns mercados premium da Lufthansa, a alemã retirou em abril um dos três Jumbos restantes, e hoje, 3 de agosto, fez o mesmo com mais um exemplar.

O 747-400 registrado sob a matrícula D-ABVX partiu do Aeroporto Enschede Twente para um rápido deslocamento de 39 minutos até a base da Lufthansa em Frankfurt, restando agora apenas um exemplar estocado.

O Boeing 747 voando de Twente para Frankfurt – Imagem: FlightRadar24

Segundo o portal holandês Up in the Sky, o gerente geral do Aeroporto de Twente, Jan Schuring, lamentou a partida, mas comemorou a indicação de melhora do mercado aéreo: “A Lufthansa voltará a incluir a aeronave na frota, devido à crescente demanda por voos de passageiros. Nós preferiríamos ver o contrato expirado, mas é claro que é especialmente bom que o setor de aviação esteja sendo reiniciado após o coronavírus.”

Ainda segundo o portal local, o aeroporto perde cerca de 100 mil euros que receberia pela estocagem de cada Jumbo que foi retirado.

A decolagem do Boeing 747 na data de hoje foi assistida por várias pessoas nas proximidades do aeroporto, e incluiu um belo “tchauzinho” de despedida depois do Jumbo retornar à vertical do aeroporto, conforme você acompanha no bonito vídeo a seguir:

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Embraer apresenta novo turboélice nos EUA, mas com menos assentos

0
O novo turboélice da Embraer foi apresentado hoje para empresas aéreas americanas, mas com menos assentos que o anunciado ao público.