Lançada versão de carga do maior avião bimotor em operação no mundo

A GE Capital (GECAS) e a Israel Aerospace Industries (IAI) anunciaram nesta quarta-feira (16) o lançamento de um novo programa para versão de cargas do maior avião comercial bimotor em operação no mundo, o Boeing 777-300ER (em breve ele perderá o título para seu novo irmão ainda maior, o 777-9).

IAI GECAS 777-300ERSF the BIG Twin
Perspectiva artística do Boeing 777-300ERSF – Imagem: GECAS

O novo modelo será designado 777-300ERSF e se dará a partir do estabelecimento de um programa de conversão de aviões de passageiros para cargueiros.

Apelidada de “The Big Twin” (“O Grande Bimotor”, denotando seu status de maior cargueiro bimotor de todos os tempos até o momento), a iniciativa é financiada em conjunto pela GECAS e pela IAI.

Com os acordos assinados em julho de 2019 e um protótipo de aeronave a ser fornecido pela GECAS, o Programa de Desenvolvimento do Certificado de Tipo Suplementar (STC) do 777-300ERSF foi agora oficialmente lançado. O STC é a aprovação dada pela autoridade de aviação dos Estados Unidos, a FAA, quando alguma nova modificação é feita no projeto original de uma aeronave.

Como cliente de lançamento e co-financiador do programa, a GECAS compromete-se com quinze pedidos firmes e quinze opções adicionais para o 777-300ERSF, incluindo o protótipo de aeronave. Espera-se que a conversão da aeronave inicial ocorra na IAI em Tel Aviv, Israel, com outras linhas de conversão implantadas em outros locais fora de Israel a partir de 2023.

Além das aeronaves convertidas pela GECAS, que as arrenda para operadores do mundo todo, o programa também verá a IAI celebrar acordos de conversão para o 777-300ERSF diretamente com as companhias aéreas e outros arrendadores em todo o mundo.

Estima-se que o desenvolvimento do STC do 777-300ERSF e a conversão do protótipo demorem mais de três anos desde o início do programa até obter a aprovação das autoridades. Depois, as aeronaves subsequentes serão convertidas em um intervalo médio de quatro a cinco meses.

O cargueiro de grande capacidade

Como a próxima geração de cargueiros widebody (carpo largo) de longo curso e grande capacidade, a GECAS informa que o The Big Twin oferecerá aos operadores 25% mais capacidade do que os cargueiros menores de motores duplos de hoje, e prevê-se atinja 21% menos queima de combustível por tonelada do que cargueiros com 4 motores.

Entrando em serviço em 2022, espera-se que o 777-300ERSF forneça a melhor economia da categoria, excelente versatilidade, excelentes capacidades de transporte flexível – especialmente para operadoras de express e e-commerce – e todos com a renomada qualidade do 777: capacidade e confiabilidade.

Líderes de mercado

Este novo acordo marca a continuação de uma parceria de décadas entre o GECAS e o IAI. A experiência e a reputação da IAI em programas de conversão incluem os modelos Boeing 747, Boeing 767, Boeing 737NG e Boeing 737 Classic, destacando-os como líderes neste espaço exclusivo de conversão de passageiro a cargueiro.

Avião GECAS Cargo 737F 737BCF BCF
O 737-800BCF, também convertido pela GECAS

A GECAS está prevendo que o programa de conversão de cargueiros Boeing 777-300ER possa garantir mais de 150 pedidos até 2030.

Atualmente, a Boeing produz o cargueiro puro 777F, que se baseia na plataforma de fuselagem mais curta 777-200LR e tem um preço de tabela de US$ 352 milhões. O total de pedidos é de 230 aeronaves.

“O -300ERSF possui 47 posições padrão de paletes de 96 x 125 polegadas (2,4 x 3,2 metro) no total. Portanto, no geral, ele tem 10 posições a mais que um cargueiro de fábrica 777-200LRF ou um volume de 5.800 pés cúbicos (164 metros cúbicos) a mais. Ele também tem oito posições a mais que o 747-400F de fábrica”, afirmou ao FlightGlobal Richard Greener, vice-presidente sênior e gerente do grupo de aeronaves de carga da GECAS.

Avião Lufthansa Cargo 777F
Boeing 777-200LRF, a versão cargueira de fábrica do 777

Os dados de frota do FlightGlobal mostram que existem 811 unidades do 777-300ERs em serviço ou em armazenamento temporário no mundo, com outros 33 em carteira de pedidos firmes para entrega antes que a produção termine no próximo ano.

Greener vê o lançamento do -300ERSF como uma aplicação vital do mercado secundário para o modelo e espera que a demanda global pela conversão seja forte nos próximos anos.

“É um caso de ‘construa e eles virão’”, disse ele, prevendo um mercado geral para 350 cargueiros novos e usados até 2030. Desses, 200 serão para substituição de aviões mais antigos e 150 para crescimento de frota, acrescenta ele.

A GECAS acredita que o -300ERSF pode capturar 40-50% do mercado geral de aviões de corpo largo (ou seja, até 175 aeronaves), com o restante sendo ocupado por cargueiros de construção nova.

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

George Clooney rejeitou US$35 milhões e não quis fazer um comercial...

0
O ator George Clooney disse em entrevista que recusou uma proposta para ser protagonista de um comercial de companhia aérea