Latam Brasil demite equipe e terceiriza operação de solo em aeroportos de todo o país

Foto: AEROIN

Em um comunicado interno, a Diretoria de Aeroportos da Latam Brasil confirmou aos seus funcionários que está terceirizando a operação de Ground Handling (rampa, limpeza e GSE) em todo o Brasil, a partir da segunda semana de maio. A medida afetará todos os aeroportos (exceto Santos Dumont, Brasília e Congonhas) e, no processo, ocorrerão desligamentos.

Na comunicação, a companhia diz que “a contratação de parceiros, para realizarem essas operações na Latam, está em linha com o mercado e segue uma tendência mundial na prestação desse tipo de serviço especializado. Essa é uma medida importante para o negócio no momento, contribuindo para a sustentabilidade econômica da companhia”.

A companhia aérea não menciona quais empresas prestarão os serviços, mas informa na carta que elas “estão sendo devidamente capacitadas para executar as atividades com segurança e sem impactos na operação”.

“Sabemos que essa é uma decisão dura e difícil de ser tomada, porém necessária. Desta forma, reforçamos o nosso respeito a todos os colaboradores impactados e agradecemos imensamente pela dedicação, comprometimento e tempo de serviço em nossa companhia. Em paralelo, continuamos trabalhando fortemente para contribuir com a recolocação profissional dessas pessoas”, conclui a nota.

Funcionários contatados pelo AEROIN foram unânimes em dizer que a medida vem como um desalento, em um momento em que estavam trabalhando em um ritmo mais acelerado para atender às demandas, muitas delas urgentes, da empresa, em um momento de pandemia e de muitas mudanças repentinas na programação de voos.

Nota da Latam

Em sinergia com as práticas de mercado nacionais e internacionais, a LATAM Airlines Brasil informa que optou por terceirizar os serviços de Ground Handling de Rampa, Limpeza e GSE (Gestão de Equipamentos de Solo). A partir de 17 de maio de 2021, estes serviços serão realizados por empresas especialistas em todas as bases com operações da LATAM no Brasil, com exceção dos aeroportos de Brasília, Congonhas e Santos Dumont.

Ciente de sua responsabilidade social e econômica, a LATAM já está em contato com os sindicatos representantes da categoria impactada para tratar das condições e viabilizar um pacote adicional de saída, bem como está fazendo todos os esforços para contribuir com a recolocação profissional de todas as pessoas impactadas por esta mudança. A companhia criou um site para cadastro de currículos e vai indicar os profissionais para outras empresas.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias