Latam confirma que trará do Chile quatro Boeings 787 para voarem na operação brasileira

Foto de Juan Cosmo – cedida

A LATAM anunciou que deve voar a partir de setembro quatro Boeing 787 Dreamliner, sendo a primeira do Brasil a operar com tal modelo. Todas as aeronaves são provenientes da frota da LATAM Chile, sendo que a primeira já se encontra em Guarulhos, onde aguarda a finalização dos trâmites para a nacionalização do modelo.

Como adiantamos, o voo com a primeira aeronave está previsto para  27 de setembro em rota doméstica de São Paulos para Manaus como parte do processo de certificação do modelo no País. 

A LATAM programou para a segunda quinzena de dezembro o primeiro voo internacional do Boeing 787 com passageiros na rota São Paulo-Madri. Os novos modelos de aeronaves serão usados com prioridade para voos internacionais de longa distância, especialmente para a Europa, em destinos ainda estudados conforme a estratégia da empresa e de acordo com a abertura das fronteiras com o avanço da vacinação contra a Covid-19. 

“A decisão de colocar em operação no Brasil um modelo que já era utilizado pelo Grupo vem para gerar mais eficiência para as operações internacionais, que terão agora uma única frota – a  da família Boeing, com os 767, 777 e 787. Isso vai deixar a companhia mais competitiva para a volta desse mercado”, explica Jerome Cadier, CEO da LATAM Brasil.

A eficiência apontada por Jerome resulta ainda no aproveitamento de pessoal. Com uma frota única de wide-bodies da Boeing, a companhia poderá aproveitar 200 tripulantes técnicos e 900 de cabine do Boeing 777 para operar o 787 Dreamliner. Como os modelos são equivalentes, esses profissionais precisam apenas realizar um treinamento curto e específico para capacitação. E para a manutenção, a companhia já conta com 60 mecânicos habilitados para esse modelo.

“Teremos 50% de redução no custo de treinamentos recorrentes de pilotos e comissários e também com as tripulações de backup, em comparação com modelos que exigem habilitação diferente. O movimento também está atrelado à melhoria operacional para contingências, em caso de troca de aeronaves, por exemplo, e também nos índices operacionais da empresa, como o OTP (on-time performance)”, complementa Harley Meneses, diretor de Operações da LATAM Brasil. 

A LATAM já realizou o treinamento de simulador dos pilotos no Chile, na CAE Santiago (centro de treinamento terceirizado). Dessa forma,  estes tripulantes já estão aptos para voar o Boeing 777 e o Boeing 787 Dreamliner no País. Atualmente, mais de 200 profissionais já foram treinados e cerca de 80 comissários passarão por treinamentos a cada mês.  

A LATAM Brasil conseguirá voar este modelo no País graças ao acordo da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) do Brasil e do DGAC (Dirección General de Aviación Civil) do Chile, onde é possível realizar o intercâmbio de aeronaves de um mesmo grupo, desde que sejam operadas em território com pilotos nacionais daquela localidade. Para isso, a LATAM precisará apenas ter um avião do modelo matriculado no Brasil, que será essa primeira aeronave que se encontra em Guarulhos. Hoje, a LATAM Brasil possui 149 aeronaves em sua frota. Veja os detalhes aqui.

Informações da Latam (adaptado)

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias