Latam fará voo especial para cientistas e entusiastas verem um eclipse de cima das nuvens

No dia 2 de julho, haverá um eclipse solar total ou parcialmente visível para alguns países da América do Sul. Nesse dia, a Latam levará um grupo de mais de 50 especialistas e amadores do fenômeno natural para observá-lo acima das nuvens, a bordo de uma aeronave. Para tal, a empresa criou uma rota especial sobre a Ilha de Páscoa, que pertence ao Chile

Além da vista privilegiada, os passageiros do voo vão acompanhar todo o movimento do eclipse, totalizando 546 segundos (pouco mais de 9 minutos). Em terra firme, o fenômeno vai durar até 273 segundos (menos de 5 minutos).

A cada 18 meses, a lua fica posicionada entre o sol e a terra por alguns momentos, bloqueando os raios de luz que atingem o nosso planeta. Por alguns minutos, o dia vira noite, esse é o eclipse solar. Esse eclipse em 2 de julho será totalmente visível no Chile e na Argentina e parcialmente visível em regiões como o Equador, Paraguai, Uruguai e Brasil, se as condições meteorológicas permitirem.

Quem são os passageiros?

Um grupo conhecido como os caçadores de Eclipse – com membros dos Estados Unidos, Canadá, Inglaterra, Irlanda, França, Holanda, Alemanha, Itália, Japão e Camboja – planejou este momento há mais de dois anos.

Um dos membros do grupo é Glenn Schneider, pH.d. em astronomia e criador do projeto EXCEDE (EXoplanetary circunstelar ambientes e explorador de disco) da Universidade do Arizona, nos Estados Unidos. A logística e a rota do avião que vai perseguir o eclipse foram desenhados por Schneider, juntamente com a equipe da Latam.

Este voo sobre Rapa Nui irá definir um novo recorde mundial Guinness: Dr. Schneider será a pessoa que mais viu eclipses solares totais: esta será sua 35ª vez. John Beattie, um dos líderes mundiais no assunto para o fenômeno na terra, no mar e acima das nuvens, também estará a bordo da aeronave.

Em terra, a LATAM vai distribuir óculos especiais para crianças de duas escolas de La Serena, também no Chile, oferecendo-lhes uma área de observação privilegiada.

Por fim, mas igualmente importante, a empresa irá compensar o carbono gerado pelo voo com uma doação ao projeto “Madre de Dios”, que tem ações de reflorestamento na Amazônia peruana.

Com informações da Latam

Carlos Roman
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

FAB usa de helicópteros e grande logística para levar recursos a...

0
A Força Aérea Brasileira (FAB) participa da Missão Maranhão, uma ação interministerial com o objetivo de levar equipamentos de proteção individual (EPI)