LATAM recebe o último Boeing 767-300BCF de sua renovação de frota

A LATAM recebeu no início deste mês seu último Boeing 767-300BCF de uma encomenda de conversão para configuração de cargueiro. As conversões foram feitas pela Boeing nas instalações da ST Engineering Aerospace, na Base Aérea de Paya Lebar, em Singapura.

Avião Boeing 767-300F LATAM Cargo

A aeronave, de número de série 34629 e registrada sob a matrícula N542LA, foi imediatamente alocada para a LATAM Cargo Colombia e, em 7 de dezembro, iniciou voos regulares entre Bogotá e Miami.

Segundo a Cargo Facts, a aeronave é o terceiro dos três BCFs (Boeing Converted Freighter) encomendados pela LATAM à Boeing em março de 2018, quando decidiu se desfazer dos dois 777F restantes em sua frota e optar por uma frota de cargueiros totalmente composta pelo modelo 767.

No passado, a rede de cargueiros da LATAM focava em segmentos norte-sul mais longos e voos entre a América do Sul e a América do Norte. A frota só de Boeing 767 continua conectando grandes cidades da América Latina com Miami e a Europa, mas os voos intra-sul-americanos são agora um foco maior para a transportadora.

Após a entrega deste mês, a frota de cargueiros da LATAM compreende oito 767-300F e três 767-300BCFs convertidos na fábrica. Um 12º 767-300F, de número de série 34627 e matrícula N420LA, é sublocado para a ex-afiliada da LATAM, a mexicana Mas Air. Três dessas aeronaves operam nas cores das divisões brasileiras, sendo duas na ABSA Cargo e uma na TAM Cargo.

Avião Boeing 767-300F ABSA Cargo

Avião Boeing 767-300F TAM Cargo

Embora não estejam planejadas outras mudanças na frota de cargueiros, o CEO da LATAM Cargo, Andres Bianchi, disse anteriormente à Cargo Facts que a companhia aérea pode considerar conversões de aviões narrowbody (como os 737 e os A320) ou a reintrodução do 777F no futuro.

Resta ver como os desenvolvimentos futuros da frota serão influenciados pelo novo investidor da LATAM, a Delta Air Lines. Em setembro, a empresa com sede em Atlanta anunciou investimento de US$ 1,9 bilhão em uma participação de 20% no Grupo LATAM. Embora a aprovação regulamentar deva levar de 1 a 2 anos, as companhias aumentarão gradualmente o compartilhamento de código.

A Delta não opera cargueiros próprios, mas nos últimos anos dobrou sua operação de carga. A robusta rede transpacífica da Delta e a capacidade dos compartimentos de carga disponíveis nos voos de passageiros de Leste a Oeste dos Estados Unidos podem se alinhar bem com a rede latino-americana da LATAM.

Avião Boeing 767-300 LATAM Cargo

Segundo dados do Airfleets e do FlightRadar24, os cargueiros da LATAM são os especificados a seguir:

  • 767-316F(ER) CC-CZZ – LATAM Cargo Chile
  • 767-316F(ER) N532LA – LATAM Cargo Colômbia
  • 767-316F(ER) N534LA – LATAM Cargo Chile
  • 767-316F(ER) N536LA – LATAM Cargo Colômbia
  • 767-316F(ER) N418LA – LATAM Cargo Colômbia
  • 767-316BCF(ER) N538LA – LATAM Cargo Colômbia
  • 767-316BCF(ER) N540LA – LATAM Cargo Colômbia
  • 767-316BCF(ER) N542LA – LATAM Cargo Colômbia
  • 767-316F(ER) PR-ABB – LATAM Cargo Brasil
  • 767-316F(ER) PR-ABD – LATAM Cargo Brasil
  • 767-316F(ER) PR-ACO – LATAM Cargo Brasil
  • 767-316BCF(ER) N420LA – Alocado à Mas Air

Veja algumas curiosidades interessantes sobre os cargueiros da LATAM na matéria a seguir:

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias