Lion Air encontra trincas em Boeings 737NG menos voados do que os indicados pela FAA

A companhia aérea Lion Air encontrou rachaduras estruturais em dois aviões Boeing 737NG com menos voos do que o limite definido para verificações pela Administração Federal de Aviação (FAA), informou o regulador de segurança da aviação da Indonésia nesta sexta-feira, 08 de novembro.

Aviões Boeing 737-900 Lion Air
Imagem: Lion Air

A descoberta pode tornar mais provável que a FAA exija que as empresas aéreas inspecionem os 737NGs com menos de 22.600 ciclos, que não haviam sido obrigados anteriormente. Cada ciclo normalmente representa um voo, com uma decolagem e um pouso.

A FAA pediu às operadoras que notificassem qualquer rachadura encontrada para avaliar se precisará alterar suas ordens de inspeção.

As rachaduras encontradas também estão na estrutura conhecida como “pickle fork”, que prende a fuselagem do avião à estrutura da asa, conforme vem ocorrendo com diversos 737NG pelo mundo.

Pickle fork 737NG
Ilustração da posição dos pickle forks no 737NG

Os jatos da Lion Air com rachaduras tinham menos de 22.000 ciclos e agora estão fora de serviço aguardando reparos, disse um porta-voz da companhia aérea. A Lion Air realizou as verificações mesmo nas aeronaves ainda não precisariam, pois queria “garantir a segurança dos voos”, disse ele.

Segundo a Reuters, a diretora geral de aviação civil da Indonésia, Polana Pramesti, disse na sexta-feira que não há planos para o regulador de aviação do país expandir as inspeções além da diretiva da FAA.

Por enquanto, a FAA exige verificações imediatas de aeronaves com mais de 33.000 ciclos, enquanto para aquelas com mais de 22.600 ciclos mas menos do de 33.000 as inspeções podem ser feitas dentro dos próximos 1.000 ciclos desde a data de efetividade da diretiva.

A Boeing disse na semana passada que pouco mais de 1.000 aviões no mundo atingiram o limite de inspeções até o momento, e menos de 5% deles tiveram problemas.

Até o momento, além da Lion Air, sabe-se que as companhia aéreas Southwest Airlines, Gol Linhas Aéreas Inteligentes, Qantas Airways e Korean Air Lines estão entre as companhias aéreas que aterraram aeronaves depois de descobrir as rachaduras.

A substituição dos pickle forks

Vídeos inéditos divulgados em outubro mostram a troca de um pickle fork de um Boeing 737 da GOL, que apresentou as trincas e foi o primeiro no mundo a ser enviado para o reparo em um centro de serviço da Boeing nos Estados Unidos.

O vídeo teria sido gravado por funcionários da Boeing na unidade da companhia em Victorville, no Sul da Califórnia, cidade localizada no caminho entre Los Angeles e Las Vegas, no meio do deserto.

Esta unidade da Boeing é responsável por pinturas e estocagem de aviões, além de manutenções pesadas como conversões para cargueiros e substituição de motores.

No vídeo é possível ver dois funcionários da Boeing, com macacões da empresa, retirando o agora famoso pickle fork da fuselagem. A peça é uma espécie de forquilha/garfo, cuja parte superior está conectada à fuselagem, enquanto a bifurcação conecta-se à estrutura central da asa.

A peça é bastante grande, como você pode conferir no vídeo que disponibilizamos na matéria a seguir:

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.