Low-cost Norwegian conquista slots no aeroporto mais concorrido da Europa

Avião Boeing 787 Dreamliner Norwegian
787 Dreamliner da Norwegian

A companhia aérea low-cost Norwegian Air conquistou um marco tão importante quanto difícil, ao verem-lhe garantidos seis slots – três decolagens e três pousos – no aeroporto de Heathrow, em Londres, um dos mais saturados e disputados do mundo. Apesar da boa notícia, a empresa aérea não disse para que rotas as faixas horárias poderiam ser usadas.

Como aeroporto mais movimentado da Europa e um dos mais movimentados do mundo, é raro ver slots sendo liberados em Heathrow, sobretudo por sua limitada capacidade operacional, já que opera apenas com duas pistas e fecha à noite devido à medidas de redução de ruído na vizinhança.

Tira daqui, põe ali

Nos últimos tempos, a Norwegian tem ajustado sua rede de rotas como parte de um grande esforço para se concentrar na rentabilidade em vez de crescimento, depois que sua antiga estratégia de expansão rápida a levou a sérias dificuldades financeiras.

Dentre as mudanças anunciadas mais recentemente estão a adição de novas rotas sazonais dos EUA para Paris e Roma, além de aumento de frequências para alguns destinos dos EUA também a partir de Londres (Aeroporto de Gatwick). Contudo, a viabilização desse plano resultaria na redução dos voos para Buenos Aires, Rio de Janeiro, Miami e Orlando.

Outras mudanças são as saídas das ligações de Copenhague e Estocolmo para os EUA e Tailândia, a partir do próximo ano, já que a companhia identificou que a demanda por rotas de longo curso de e para cidades escandinavas não poderia competir com cidades maiores, como Londres, Paris e Roma. Apenas os voos de Oslo para os Estados Unidos foram mantidos.

Avião Boeing 787 Norwegian

“A Escandinávia não é grande o suficiente para manter voos intercontinentais de Estocolmo, Copenhague e Oslo”, disse a empresa, acrescentando que está avaliando rotas de Oslo para Bangkok e Krabi, Tailândia para o inverno de 2020.

Abordagem agressiva

Apesar de não ter dado pistas sobre horários de operação no Heathrow, o porta-voz da empresa informou que a Norwegian “tem um forte histórico de combater as operadoras e alianças predominantes, oferecendo tarifas baixas e serviço premiado em rotas e destinos específicos, que antes eram operados como monopólios”.

“Ajustamos continuamente nossa rede em resposta à demanda e anunciaremos quaisquer outras mudanças quando for apropriado fazê-lo”, concluiu a empresa, antes de reafirmar que, no início do mês de janeiro de 2020, Jacob Schram estaria assumindo a empresa como seu novo CEO, depois de Bjorn Kjos deixou o cargo em julho.

Carlos Ferreira

É profissional de marketing e pesquisador de temas relacionados à aviação há quase duas décadas. Leva a câmera fotográfica para onde vai e faz mais fotos de aviões do que dos passeios. Responsável pela linha editorial da revista eletrônica AEROIN.net.