Lufthansa encerrará base dos A380 em Frankfurt

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

A Empresa alemã que, antes da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus, dividia as operações de sua frota de 14 unidades do Superjumbo entre as bases em Munique e Frankfurt, anunciou mudanças nessa estrutura, junto com a aposentadoria de alguns dos aviões.

Avião Airbus A380 Lufthansa
Imagem: Melv_L – MACASR [CC]

Independente de retornar aos voos ou não, uma coisa já está definida para o futuro dos A380 da Lufthansa: a empresa encerrará as atividades com o modelo em sua base de operações de Frankfurt, passando a concentrar, se for o caso, todas as unidades da aeronave na base de Munique, divulgou o Aerotime.

Segundo a empresa, transferir todos os seus Airbus A380-800 para Munique, por enquanto, faz mais sentido logístico e comercial. A companhia aérea anunciou anteriormente que aposentaria temporariamente aproximadamente metade de sua frota de Airbus A380 e já mandou sete deles para o “clima desértico” espanhol, na cidade de Teruel, local conhecido por suas instalações dedicadas ao armazenamento de aeronaves por longo período.

“Depois de considerar vários critérios e com a premissa de tornar a Lufthansa competitiva a longo prazo, a empresa decidiu que o A380 só será usado em Munique no futuro”, declarou um porta-voz da Lufthansa, segundo o Airways International.

“Os A380 de Munique permanecerão armazenados e, se a opção for reativá-los, todos voarão a partir de lá”, disse o porta-voz.

Até o momento, a Lufthansa confirmou que retirará permanentemente de serviço seis A380. Enquanto isso, os oito A380 restantes estão atualmente em armazenamento temporário.

No início de abril, a Empresa anunciou que, além dos seis Airbus A380, sete Airbus A340-600 e cinco Boeing 747-400 serão desativados de forma permanente. Além disso, onze Airbus A320 serão retirados das operações de curta distância. No geral, o Grupo Lufthansa, que inclui SWISS, Edelweiss, Brussels Airlines, Eurowings, Austrian Airlines e Air Dolomiti, retirará de serviço em torno de 100 aviões (que ainda não foram escolhidos), de maneira permanente, nos próximos meses.

A empresa também anunciou que retiraria o restante da sua frota de Airbus A340-600 “temporariamente” por um a um ano e meio, à medida que continua a reduzir a capacidade em meio ao surto de coronavírus.

Pelo que se nota, a crise gerada pela pandemia global do novo coronavírus não para de golpear o gigante da Airbus.

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Rodnei Diniz
Engenheiro aeronáutico e mecânico, atuante em gestão de manutenção aeronáutica, aviação geral, executiva e comercial. Atento aos detalhes, gosta de ler e escrever sobre a história da aviação.

Veja outras histórias

Avião Boeing 737-700 Gol Linhas Aéreas

Após solicitação do SNA, Gol retomará transporte para tripulantes entre aeroportos

0
A medida vem poucos dias depois que o SNA enviou ofício à empresa afirmando que tripulantes relataram falta de transporte terrestre.