Lufthansa estaria retrocedendo também sobre o A380, avaliando sua reativação

Airbus A380 – Imagem: Melv_L – MACASR / CC BY-SA 2.0, via Wikimedia Commons

Se por um lado o grupo aéreo alemão Lufthansa está reduzindo sua equipe de pilotos de Airbus A380 de maior senioridade para cortar custos, por outro, parece que os demais tripulantes dos gigantes aviões têm alguma chance de voltar aos seus cockpits dentro de um punhado de meses.

Em um reporte no final de última semana, o portal de notícias ‘aero.de’ teve acesso a um documento interno da companhia aérea, no qual ela informava a seus pilotos o oferecimento de um programa de aposentadoria antecipada para aqueles a partir dos 55 anos de idade, incluindo um bônus especial de 35.000 euros (cerca de 218 mil reais) especificamente para os tripulantes do A380 aderirem à medida.

Agora, o mesmo portal alemão volta com novas informações vindas de uma fonte interna à Lufthansa, afirmando que, apesar dos comentários anteriores de retirada da frota, o modelo de avião de dois andares voltou a ser estudado pela companhia como uma possível solução para o crescimento de demanda premium de primeira classe e classe executiva nos voos da base de Munique.

Como vimos no final de junho, o grupo alemão anunciou oficialmente que, para este mesmo fim de atender à demanda premium, reativaria cinco Airbus A340-600, que da mesma forma foram antes definidos como retirados da frota. Mas, segundo a fonte do aero.de, a retomada da busca por este serviço na recuperação da pandemia está sendo tão intensa que o A380 passou a ser avaliado para o verão de 2022 no lugar do A340.

O portal Simple Flying aponta dois aspectos interessantes associados à questão. O primeiro é que a Lufthansa, embora tenha vendido alguns de seus A380 de volta à Airbus, mantém os demais no status de “estocagem de longo prazo”, ao invés de uma retirada definitiva de serviço que tornaria inviável sua reativação; o segundo é que, enquanto outras empresas aérea removeram o modelo de seus sites na internet, a companhia alemã continua apresentando o gigante em seu portal.

Assim sendo, diante de todos os aspectos acima, será que veremos mais uma empresa voltando a voar o maior avião de passageiros do mundo no ano que vem, caso uma nova onda de Covid-19 não venha assolar os mercados ocidentais como ocorre atualmente em alguns países da metade leste do planeta? Qual sua aposta?

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Vêm à tona fotos do desgaste na pintura do A350, o...

0
Há vários meses, a mídia mundial noticia uma disputa entre a Qatar Airways e a Airbus sobre problemas na pintura do moderno jato A350.