Lufthansa fará voos de bate e volta só para passageiros tomarem a vacina

Decolar, voar por pouco mais de três horas, tomar a vacina e voltar para a casa. Esta é a proposta inédita da Lufthansa, no “turismo de saúde”.

A negociação da empresa aérea alemã estaria em andamento com o governo Russo, que teria oferecido o Aeroporto Domodedovo, em Moscou, para virar um centro de vacinação para estrangeiros. O pacote completo, incluindo duas passagens de ida e volta da Alemanha para Moscou, referentes à primeira e segunda dose da vacina Sputnik V, do laboratório Gamaleia, estaria cotado em €1.000 euros, equivalente a R$ 6.759 reais.

O custo da Sputnik V por dose é de apenas R$ 56 e as duas passagens de ida e volta estão em torno de R$ 3300. A diferença seria referente a vistos especiais que permitem a permanência dos passageiros pelo tempo necessário para a vacinação.

Segundo o jornal alemão bne IntelliNews, o voo seria focado nas pessoas mais endinheiradas e que não querem esperar as vacinas da Pfizer, AstraZeneca e Moderna, que tem atrasada sua a entrega para a Europa.

Voos saindo de Zurique, na Suíça, e Viena, na Áustria, também estariam sendo planejados, envolvendo as subsidiárias Swiss e Austrian Airlines.

O chamado Turismo de Saúde acontece quando as pessoas viajam para fora de seu país ou domicílio apenas com o intuito de fazer algum tratamento, seja porque é mais barato ou mais rápido do que na sua cidade de residência. Diversas pessoas já apontavam este tipo de turismo uma tendência crescente com o surgimento da pandemia.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

Governo Dória publica edital de concessão para 22 aeroportos regionais paulistas

0
O Governo de SP lança o edital de concorrência internacional para leilão da concessão dos 22 aeroportos regionais, atualmente administrados