Lufthansa fará o voo mais longo de sua história, com viajantes especiais a bordo

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

A Lufthansa anuncia hoje (20) que, em 1º de fevereiro de 2021, fará o voo de passageiros mais longo da história da empresa, marcando um dos voos mais exclusivos que já realizou.

Avião Airbus A350-900 Lufthansa
Airbus A350-900 da Lufthansa – Imagem: Clément Alloing

Em nome do Instituto Alfred Wegener, Helmholtz Center for Polar and Marine Research (AWI) em Bremerhaven, a aeronave mais sustentável do Grupo Lufthansa, um Airbus A350-900, estará voando 13.700 quilômetros sem escalas de Hamburgo a Mount Pleasant, nas Ilhas Malvinas, ou Falklands. O tempo de voo é calculado em torno das 15 horas.

Há 92 passageiros reservados para este voo charter, que decolará sob o número LH2574. Metade deles é composta por cientistas e a outra metade, pela tripulação do navio de pesquisa Polarstern para a próxima expedição.

“Estamos satisfeitos por poder apoiar uma expedição de pesquisa polar durante estes tempos difíceis. O compromisso com a pesquisa climática é muito importante para nós. Atuamos neste campo há mais de 25 anos e equipamos aeronaves selecionadas com instrumentos de medição. Desde então, cientistas de todo o mundo têm usado os dados coletados durante a viagem para tornar os modelos climáticos mais precisos e melhorar as previsões do tempo”, disse Thomas Jahn, comandante da frota da Lufthansa e gerente deste projeto de voo às Falkland.

Como os requisitos de higiene para este voo são extremamente elevados, o comandante Rolf Uzat e sua tripulação de 17 membros entraram em quarentena de 14 dias no último sábado, ao mesmo tempo que os passageiros. “Apesar das restrições da tripulação para este voo em particular, 600 comissários de bordo se inscreveram para esta viagem”, disse Rolf.

Segundo a Lufthansa, os preparativos para este voo especial são imensos. Eles incluem treinamento adicional para os pilotos por meio de mapas eletrônicos especiais para voo e pouso, bem como gerenciamento do querosene disponível na base militar de Mount Pleasant para o voo de retorno.

Imagem: Lufthansa

O Airbus A350-900 está atualmente estacionado em Munique, onde está sendo preparado para a missão. Em Hamburgo, a aeronave será carregada com carga e bagagem adicionais, que foram amplamente desinfetadas e permanecerão lacradas até a partida.

Além do serviço de bordo, existem contentores adicionais para os resíduos a bordo, uma vez que estes só podem ser eliminados após a chegada do avião de volta à Alemanha.

A tripulação da Lufthansa inclui técnicos e pessoal de terra para manuseio e manutenção da aeronave no local, que ficarão em quarentena após o desembarque nas Ilhas Malvinas devido a exigências governamentais.

Falklands Malvinas Aeroporto Mount Pleasant RAF
Base Aérea da RAF na Falklands – Imagem: Donald Morrison / CC BY 2.0, via Wikimedia Commons

O voo de volta, de número LH2575, com partida prevista no dia 03 de fevereiro para Munique, levará a tripulação do Polarstern que partiu de Bremerhaven no dia 20 de dezembro para reabastecer a Estação Neumayer III, na Antártida, e agora deve ser dispensada.

Os preparativos para o voo especial começaram junto com o Instituto Alfred Wegener no verão de 2020. A rota usual via Cidade do Cabo não era viável devido à situação de infecção na África do Sul, restando apenas a rota via Ilhas Malvinas. Após o desembarque nas Ilhas Malvinas, a equipe científica e os membros da tripulação continuarão sua jornada para a Antártica no navio de pesquisa Polarstern.

Informações da Lufthansa

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias