Mahan Air segue voando à China, mesmo após proibição oficial devido ao coronavírus

Jornalistas iranianos relatam que a Mahan Air continua a voar de e para seus destinos chineses, mesmo após a proibição geral dos voos. Os relatos causaram consternação no Irã, onde o coronavírus tem se disseminado rapidamente.

Foto de Anna Zvereva via Wikimedia Commons

Relatos de continuação dos voos da Mahan Air para a China, apesar da proibição, válida desde 30 de janeiro, atraíram críticas dos legisladores e do público. Um membro do Parlamento do Irã disse na terça-feira, 25 de fevereiro, que os voos entre o Irã e a China não pararam, apesar da “suspensão” oficial.

Uma análise conduzida pela agência iraniana Radio Farda revelou que, mesmo após o banimento, a Mahan Air operou mais de cinquenta e cinco vezes para Pequim, Xangai, Guangzhou e Shenzhen, saindo do Aeroporto Imam Khomeini, em Teerã, em voos regulares, entre 4 e 22 de fevereiro – não contando os voos de resgate.

Consultas ao FlightRadar24 confirmam a análise da agência, mostrando que voos regulares da Mahan Air para a China continuam sendo realizados, apesar da menor escala. Veja abaixo uma evidência de voo regular na data de ontem, 24 de fevereiro, na rota Teerã – Xangai, com o Airbus A340-600 EP-MMR

Lucrando com a tragédia

O site de notícias Tabnak, que é aprovado pelo governo iraniano, já havia questionando anteriormente as ações da Mahan Air e a continuação dos voos, mesmo após o banimento. Segundo os jornalistas, a empresa tem colocado o lucro em primeiro lugar, acima da saúde dos iranianos, tentando capturar negócios, aproveitando a lacuna deixada por outras empresas aéreas internacionais.

O jornal cita, como exemplo, que a empresa estaria ganhando muito dinheiro dos chineses de várias partes da Turquia e do Oriente Médio que não tinham outra alternativa de retornar à China e que pagam altas somas para poder voltar a seu país..

Governo nega que voos continuam

Ainda na terça-feira, Reza Jafarzadeh, porta-voz da Organização de Aviação Civil do Irã (ICAO) refutou as acusações contra a Mahan Air e seu possível papel no surto de coronavírus no país.

Jafarzadeh disse que o governo decidiu interromper todos os voos de e para a China, mas houve alguns voos autorizados, incluindo um voo para evacuar estudantes e outros cidadãos iranianos da China e alguns voos de carga, todos sob a supervisão do Ministério da Saúde e com todas as medidas sanitárias preventivas.

Hoje, o Irã representa um dos maiores riscos à disseminação do vírus no mundo, segundo esse artigo da CNN.

A Mahan Air

A companhia aérea Mahan é privada, mas parcialmente pertencente à Guarda Revolucionária. Foi sancionada pelo Tesouro dos EUA em 2011 por apoiar a Força Quds da Guarda Revolucionária. 

Em 11 de dezembro de 2019, o Departamento do Tesouro sancionou três agentes da Mahan Air com baseados nos Emirados Árabes Unidos e Hong Kong por “facilitar o apoio do regime iraniano às milícias”.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias