Início Empresas Aéreas “Foi o maior erro que cometemos, comprar o A380”, afirma Qatar Airways

“Foi o maior erro que cometemos, comprar o A380”, afirma Qatar Airways

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Após retirar metade dos A380 da frota da Qatar Airways em abril desse ano, o CEO da grande companhia do oriente médio admitiu recentemente que os A380 foram um grande erro para a empresa.

Imagem: Paul Schmid / CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons

Já nos primeiros meses da crise aérea devido à pandemia da COVID-19, o polêmico CEO do Grupo Qatar Airways, Akbar Al Baker, disse que era uma total irresponsabilidade utilizar o A380 no período de baixa demanda, porque o mesmo emite muito mais poluição de que outros aviões modernos muito mais eficientes.

Depois, em abril desse ano, Al Baker disse em entrevista que não havia futuro para todos os seus A380, alegando ser o avião errado na hora errada, confirmando a retirada da metade de seus dez gigantes.

A saída dos superjumbos da Qatar se deve ao alto custo de operação da aeronave e por ser, segundo o CEO, uma das “piores aeronaves” em termos de emissões de carbono.

Agora, conforme relata a Executive Traveller, novas declarações sobre o A380 foram dadas por Al Baker durante um Webinar realizado recentemente, nas quais o executivo afirmou que, “olhando para o passado, isso foi o maior erro que cometemos, comprar os Airbus A380”.

“Aterramos o A380 simplesmente porque é um avião muito ineficiente em termos de combustível. Não acho que haja um mercado para esse avião no futuro previsível.”, disse o CEO.

Essa declaração agora dada rebate o que o próprio diretor-executivo disse em 2014, quando o primeiro superjumbo chegou à companhia. Segundo ele, a chegada do A380 abriria um novo capítulo no serviço exclusivo e incomparável da Qatar Airways aos seus passageiros a bordo.

Ele admite que a experiência dos passageiros sempre é adorável, sendo uma aeronave silenciosa e inteligente, mas reforça os impactos negativos que ela causa no meio ambiente, devido a sua grande poluição, portanto, colocando à frente do conforto dos passageiros a necessidade de redução desse impacto.

Ainda em declaração, ele diz que a aeronave foi boa quando lançada em 2002, mas que, infelizmente, tudo se agravou com o aumento do preço do combustível e o design errado do A380.

Acredita-se que esse ‘design errado’ citado em sua declaração tenha relação com os altos custos que a aeronave produz, problema esse que todas as operadoras do superjumbo em algum momento já citaram, além da cada vez mais presente conscientização dos passageiros sobre evitar embarcar em uma aeronave muito nociva ao meio ambiente.

O futuro da frota

Com a insatisfação da Qatar Airways em relação ao Airbus A380, a companhia está remodelando toda a estrutura de sua frota, incorporando aeronaves com desempenho e custos operacionais menores, sendo também menos nocivas ao meio ambiente.

Os Airbus A350 e Boeing 787, que compõem mais da metade da frota, estão sendo surpreendentemente mais eficientes do que já se previa que seriam nas operações da companhia. Adicionalmente, ainda é prevista a chegada dos três primeiros Boeings 777X, que serão entregues a partir do final de 2023, tornando a Qatar a primeira a receber a nova grande aeronave da Boeing.

Leia mais:

Sair da versão mobile